Fate/Major Arcana – X

O número 10 (dez) representa ausência, mas também completude, perfeição, totalidade. Isso porque ele é composto pelos números 1 e 0, de modo que é o primeiro número que é interpretado em conjunto.

Dizem que sozinho não carrega um simbolismo próprio, daí o fato de refletir ausência. Por outro lado, a perfeição e completude encerram a ideia de que o número 10 compreende todo o simbolismo da numerologia pitagórica, do 1 ao 9, cuja soma é justamente 10.

Curiosamente, a soma dos quatro primeiros números (1 + 2 + 3 + 4) resulta, da mesma forma, no número 10.

Para o filósofo e matemático grego Pitágoras, a dezena representa o sagrado. No número 10, Pitágoras enxerga a criação do Universo, por isso, tem um grande respeito pelo mesmo. [Dicionário de Símbolos]

Sou o Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Derradeiro, o Princípio e o Fim. [Apocalipse, 22:13]

O sistema binário ou de base 2 é um sistema de numeração posicional em que todas as quantidades se representam com base em dois números, ou seja, zero e um (0 e 1).

Os computadores digitais trabalham internamente com dois níveis de tensão, pelo que o seu sistema de numeração natural é o sistema binário. [Wikipédia]

– Porra! De tantos Servos de classe Caster [Feitiçeiro/Encantador] eu acabei ficando justo com você!

– Eu estou em desvantagem pois você é o Mestre e eu o Servo. Mas minhas estórias contam sobre meu heroísmo. Eu me tornei o maior mago de Hogwart.

– Um bando de adolescentes convivento com velhos acadêmicos. Ratos não deixam de ser ratos se forem chamados de outro nome. Hogwart cheira a uma verdadeira ratoeira, um pesadelo para qualquer biblioteca. Aqui a coisa é séria, garoto, nós vamos enfrentar espíritos heróicos que podem nos engolir, mastigar e cuspir sem que nós sequer nos demos conta.

– Se vale de algo, Mestre, o nome de Ryuunosuke Uryuu fez uma péssima reputação depois da Quarta Batalha do Graal. Nós podemos usar isso como trunfo.

– Pode ser. Eu vou fazer a Organização Caldeia engolir o apelido de Rinosoro que colocaram em mim. O vortex que abriu para nós no Palácio de Versalhes nos levou a outro portal em Stonehenge e agora nós estamos… onde?

– Eu creio que estamos dentro da área expandida de Stonehenge, além de sua forma materializada. Estes corredores devem nos conduzir para a arena onde nós devemos lutar.

– Apareçam, apresentem-se e adiantem-se, pois eu sou servo do mesmo Deus. Eu sou Astolfo de GrandRose e eu sou o árbitro da atual Batalha do Graal.

– Árbitro… não era Joana D’Arc? Enfim, tanto faz qual garota vai servir de testemunha, desde que você seja imparcial.

– Mestre Ryuunosuke, eu sou garoto. Pode nomear seu Servo e a classe dele?

– Como eu disse, tanto faz. Faz tempo que essa definição estreita homem/mulher, masculino/feminino deixou de fazer sentido. Este é meu Servo, Harry Potter e ele é da classe Caster.

– Excelente. Que a sorte defina seu adversário. Pelo poder que me foi concedido, eu ordeno que o portal se abra para o desafiante.

O enorme megalítico dá passagem para duas pessoas, um velho em um terno cinza e uma mulher em hábitos eclesiásticos.

– Apareçam, apresentem-se e adiantem-se, pois eu sou servo do mesmo Deus. Eu sou Astolfo de GrandRose e eu sou o árbitro da atual Batalha do Graal.

– Eu sou Bonifácio Canterbury e eu fui conhecido como Papa Dionísio II. Esta é a minha e Serva de Deus, Lucrécia Bórgia, classe Assassin.

[cochichando]- Vai ser barbada! A classe Assassin é fraca contra a classe Caster!

[cochichando]- Eu simpatizo com seu otimismo, Mestre, mas esta é a famigerada assassina da Igreja. Nós precisaremos ter muito cuidado e cautela.

Lucrécia tira um leque [de onde, pelos Deuses?!] e coloca diante de seus lábios rútilos, provocando susto nos garotos. Ela observa e avalia seus adversários.

[sussurrando no ouvido]- Mestre… eu tenho que lutar com esses garotos?

– Sim, Lucrécia. Considere como uma forma de expurgar seus pecados com Deus. Afinal, esses garotos mexeram com Bruxaria, tal como você mesma o fez.

– Oh… por Deus! Eu tenho que salva-los! Purifica-los! Redimi-los! Principalmente aquele gatinho ali [apontando Harry].

– Nós depois temos que conversar sobre sua… obsessão por sexo, Lucrécia. Acha que pode vencê-los?

– O Papa é Católico? [sai rebolando, provocativa]

– Mestres, em suas posições. Servos, em suas posições. Estão todos cientes, de acordo e concordam com as regras da Batalha do Graal? [sim sonoro e efusivo de ambas as partes] Eu declaro o início desta luta!

– Incarcerous!

Faíscas brotam do chão [de granito] enquanto Lucrécia parece dançar.

– Impedimenta! Estupefacta!

Mais chispas e entulho saem das paredes e colunatas da arena montada [lembrem: granito]. Nada parece conseguir atingir o alvo que ri e dança. Lucrécia não aparenta ter qualquer tipo de arma nas mãos, só fica dançando e girando. Quando fica perigosamente próxima, Harry salta intuitivamente, só os cabelos e as bordas do vestido esbarram nele, sem dano ou corte visível.

– Harry, se eu quisesse uma valsa, eu teria ido para Áustria. Dá para acertar e acabar com isso?

– Mestre, ela é muito rápida, flexivel, imprevisível e esperta. Eu usei três magias, eu só tenho carga para mais cinco.

– Se está tão dificil, eu posso usar o Primeiro Selo de Comando.

– Não! Por favor! Ainda não! Eu não estou preparado. Eu sei que consigo vencer.

Ryuunosuke está incrédulo da capacidade de Harry. Lucrécia apenas ri mais alto, mais ensandecida.

– Ah! Garotos! Eu gosto muito de garotos! Se eu tivesse nascido homem, eu me tornaria padre só para viver cercado de garotos. Tantos sonhos, tantas esperanças, tanta energia, tanta disposição… eu simplesmente amo garotos. Sobretudo quando suas vidas estão se esvaindo aos poucos, bem diante de mim. Ah, sim, eu aprendi coisas com o marquês Alfonso Donatien. Eu os enredo em minhas teias até que se prendam sozinhos. Então, quando estão impotentes, eu os desnudo, os insiro em minhas partes carnudas e os faço expirar no exato instante em que atingem o êxtase. Oh, sim, eu faço obras de arte. As expressões deles são uma imagem do Paraíso.

Harry sente suas pernas pesadas, seus braços amolecendo, a visão enevoando. Ele recorda as aulas que teve sobre Veneficium [arte da Bruxaria e da Magia pouco comentada e muito censurada por beatos]. O que ele sente é compatível com os efeitos do veneno. Mas quando? Como? Ela não tem qualquer lâmina, agulha ou pino para inocular veneno.

– Vejo que minha arte começa a surtir efeito. Vejo também que seus olhos insinuam que sua mente tenta achar o vetor. Não te ensinaram coisa alguma, garoto? Não viverá muito mais, então eu te explico, para que possa dar conta ao barqueiro Caronte. Meu cabelo, minhas roupas… estão impregnados de venenos que eu mesma cozinhei. Sim, bruxinho de meia tigela, eu fiz uma emulsão especial… só para você. Eu só preciso encostar,mesmo que levemente, meu cabelo ou as bordas de meu vestido para que sua pele absorva meu perfume.

– Ry… Ryuunosuke… o Primeiro Selo de Comando…

– Tsc… tsc… está para morrer e vai apelar para seu Mestre e o Primeiro Selo de Comando? Pobre garoto, tão convencido e tão crédulo… nem percebeu que, enquanto lançava suas magias, eu também lancei a minha arte em seu Mestre. Quer saber por que não viu arma alguma em minha mão? Porque elas estão implantadas no seu Mestre, só aguardando a minha ordem para se ativarem.

– Ry… Ryuunosuke…

– Ha… Harry…

Lucrécia estala os dedos da mão esquerda e, em segundos, Ryuunosuke vira polpa de carne, sangue e ossos, espalhado pelo chão. Harry nada pode fazer, senão olhar, sentado, desesperadamente lutando para conseguir respirar.

– Mestre… só dessa vez… deixa-me acabar com esse garoto como minha arte me pede!

– Você tem que prometer que irá fazer penitência e orar o Rosário por três meses, para que a Sagrada Maria te absolva desse pecado e para que Deus te livre de seu vício em sexo.

– Eu prometo, Mestre. Vai ser só essa vez.

Lucrécia desnuda e monta no garoto indefeso, na porta da morte. Harry só consegue pensar em Hermione. Delirando, prestes a morrer, ele enxerga Hermione nas feições de Lucrécia, expira e espirra. Lucrécia toma literalmente a sabedoria popular que o orgasmo é uma pequena morte. Se é para morrer, que se morra certo. Lucrécia está satisfeita, seu ventre está recheado com a semente de sua vítima.

– Os desafiantes da Escola de Magos estão derrotados. Eu declaro os desafiantes da Igreja vencedores. Vocês podem prosseguir para a próxima arena.

– Iupi! Eu venci! Mestre, eu venci!

– Sim… venceu…

– Hã? Algo o perturba, Mestre?

– Eu vi na mão do Servo… eu juro por Deus que eu vi. Ele tinha na mão o Arcano do Mago.

– Nesse caso, Mestre, eu fiz o Um tornar-se Zero.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s