Fate/Major Arcana – VI

Quando abre os olhos, [Karen] se dá conta de que está deitada em uma maca de hospital. Elx levanta-se imediatamente, pois tem fobia de tudo que se refere a hospital, por causa do trauma que adquiriu assim que nasceu.

– Karen! Que bom! Você acordou!

Rei Ayanami, enfermeira da Missão Babilon, afasta as cortinas da maca e estende as mãos, para acalmar e segurar [Karen].

– Você precisa descansar, Karen. E se alimentar. Se não fosse por Durak, você não teria acordado.

– Durak?

– Sim, o garoto e aluno novo. Você depois deve agradecer a ele. Mas antes nós precisamos conversar sobre sua… condição.

[Karen] se espreme debaixo dos lençóis alvos. Seu rosto fica avermelhado, pois elx se dá conta que Rei deve ter examinado elx assim que chegou no posto de saúde e deve ter “descoberto” seu segredo.

– Mi… minha condição… senhorita Ayanami…

– Está tudo bem, Karen. Nós não estamos no século XX, onde se acredita piamente que existam apenas dois gêneros. Isso explica por que você nunca me deixou te examinar direito. Eu deveria estar brava com você, mas eu estou aliviada. O que é mais importante é que você está bem.

– Se… senhorita Ayanami… minha condição…

– Eu tenho certeza de que você mesma vai encontrar sua definição e identidade, assim que tiver amadurecido o suficiente. Se eu puder te ajudar nessa transição, é só me pedir.

[Karen] balança a cabeça afirmativamente, mas sua consciência está longe dali. Quem mais viu? Quem mais sabe? Ser refugiada não é vida. Ser mulher é ruim em muitos países. Ser criança transgênero parece ser o final do abismo que separa as pessoas.

– Vamos, ânimo. E coma a comida que eu te trouxe. Depois eu peço para que Durak te leve de volta para seu abrigo. Ele te espera na recepção.

[Karen] sente vapor saindo de seus ouvidos. Essa é novidade. Alguém que se importa com elx. Na lista dos indesejáveis, [Karen] acha que fica entre os primeiros. Então vem a dúvida. Por que Durak espera por elx? Quem é esse garoto?

– Aqui está sua princesa, Durak. Por favor, cuide bem dela.

A despeito da recepção do posto médico estar lotado, o garoto está sentado sozinho em um banco com capacidade para cinco pessoas, os demais pacientes e visitantes formando um círculo em torno dele, como se ele tivesse algum tipo de doença contagiosa. [Karen] sente algo estranho, sensação nova, compaixão, elx percebe que existem outros indesejáveis no mundo.

– Vamos, Karen. Eu acho que ainda conseguimos chegar na ultima aula. Professora Mako está esperando seu retorno.

– Lembre-se do que conversamos, Durak.

– Senhorita Ayanami, eu repito, Karen é minha senpai. Meu dever é de ajuda-la. Eu não lembro nem recordo de ter conhecido a senhorita antes, portanto, nada do que disse faz sentido.

– Claro, Durak. Sem problema. Seu segredo está seguro comigo. Todos nós temos segredos.

[Karen] abafa a risada enquanto Durak faz uma expressão fingindo estar bravo. Elx quer perguntar, saber mais sobre esse garoto, mas não é o momento adequado. [Karen] ainda sente os efeitos da medicação e seu corpo responde com lentidão causada pela alimentação reforçada. No momento o que importa é falar com a professora Mako e enfrentar sua classe.

[corte de cena]

– Alerta! Alerta! Convocação geral urgente!

No palácio do Reino de Tipheret a agitação domina. As pequenas “faces de Deus” esvoaçam ligeiro, de um lado a outro. Cada qual tem que estar em sua posição certa para o comunicado de seu rei, Raphael, o Arcanjo.

– Meu rei, todos estão em suas posições.

– Excelente, Meiriel. Toquem a trombeta sagrada.

– A… trombeta sagrada, meu senhor?

– Sim, Meiriel.

– Meu senhor… isso dará início ao Armagedon!

– Pois é disso mesmo que se trata, Meiriel.

Raphael termina de vestir sua armadura completa e se posta no balcão diante de miríades de anjos que estão sob suas ordens. O medo, a ansiedade e a expectativa estão estampados nas expressões de todos.

– Cidadãos! Servos do mesmo Deus! Eu lhes trago uma revelação do Altíssimo! Aproximem-se e vejam! Este é o arcano do Pendurado! Essa é a revelação vinda de Deus! Teve início a Batalha do Graal! A maior e mais importante de todas! Eis que as Quatro Portas do Reino de Malkuth estão se abrindo! Isso significa que o Caminho até o Inefável está aberto! Isso significa que humanos, magos, heróis e reis, virão passar por nossa amável cidade, irão conspurcar-la com suas máculas e irão cometer a maior blasfêmia e sacrilégio jamais imaginado que é adentrar ao Santo dos Santos.

Vaias. Assobios. Xingamentos. Os mais exaltados tratam de empunhar lanças, espadas e arcos.

– Sim, meus pequenos irmãos e irmãs! Eu compartilho convosco tamanha indignação! O arcano mostra o que virá! O mundo virará de cabeça para baixo! O Homem quer se tornar Deus e a Batalha do Graal pode conceder ao vencedor tal desejo! Assim como vós, meu desejo é o de descer até gaia e, pessoalmente, limpar o Jardim do Éden desse grotesco erro! Mas vede que não é assim que se faz! Não na Batalha do Graal! Agora mesmo, poucos escolhidos ouvem o chamado do Graal e virão para a luta. Sete magos e seus sete espíritos heroicos. Somente magos e espíritos heroicos podem participar da Batalha do Graal. Nós, que ainda preservamos a natureza original espiritual que nos foi dada pelo Altíssimo, não possuímos corpos carnais nem desejos que nos possam tornar elegíveis. Novamente, repito, eu desejo lutar como vós, mas nos é proibido.

Vaias. Assobios. Xingamentos. Armas sendo largadas no solo. Decepção e desânimo.

– Pensando nisso, pensando em nosso bem estar e na proteção da Cidade de Deus, eu, pela responsabilidade e autoridade que me foi concedida, encontrei e arregimentei a ajuda da Rainha do Reino Luminoso. Ela nos concedeu a providencial e poderosa ajuda da Glitter Force. Essas cinco garotas irão representar e defender os interesses da Luz, da Verdade, da Justiça e do Amor.

– Saudações, cidadãos do Reino de Tipheret! Eu, a Glitter Rosa, prometo que irei vencer a Batalha do Graal!

Aplausos. Palmas. Elogios. Bandeiras são desfraldadas e sacudidas. Harpas, címbalos, flautas, tambores entoam músicas.

[corte de cena]

[Karen] entra e os alunos a observam, congelados. Professora Mako tenta conter o choro. Durak encara qualquer um que olhe enviesado. Tudo caminha para o final da aula quando sirenes de alerta são acionadas. Invasão. Um exército se aproxima do campo de refugiados.

– Muito bem, pessoal. Sem pânico. Façam como no simulado. Vamos sair todos em linha e em ordem para o abrigo blindado.

Como sempre, Leila comanda e coordena. Todos obedecem. A fila segue em linha reta, meninos e meninas têm abrigos diferenciados. Ao redor, as equipes especiais de soldados de elite da ONU estão agitadas e conturbadas. Explosões acontecem em diversos pontos. Tiros, bombas e mísseis são disparados. A fila se dispersa, com a primeira explosão mais próxima. [Karen] caí no chão enquanto cinco garotas são atingidas em cheio por um obus. No meio da fumaça, da coluna de fogo, da cortina de destroços que bailam pelo ar junto com pedaços de corpos, [Karen] vê uma garota, em um vestido azul extravagante, colorido e brilhante, esmagar o blindado da ONU com uma única mão.

– Aqui! Eu achei! A bruxa do Coração Negro!

Outras quatro garotas apareceram ao lado da de azul. Uma tem vestido vermelho, outra tem vestido rosa, atrás aparece a de vestido amarelo e, por fim tem a com vestido verde. Os vestidos todos são cheios de cores vibrantes, laços, babados, enfeites. Até parecem uniformes, de muito mau gosto e infantis demais. O fato delas levitarem mostra que elas são sobre-humanas. E agora estão todas olhando furiosamente para [Karen].

– Rápido, Karen! Corra para o abrigo blindado! Eu tentarei segurar a Glitter Force!

– Du… Durak? Você as conhece? O que elas querem comigo?

– Agora não é hora de conversarmos, Karen! Corra e proteja-se!

– Ma… mas… e você?

– Hah! Eu me viro!

– N… não! Você vem comigo!

– Agora não é o momento certo para tentar ser heroína, Karen! Ah… se eu tivesse uma bruxa perto…

– E… eu sou…

– Olha, Karen, também não é boa hora para ficar fantasiando.

– Mas eu sou! Eu sou bruxa! Legítima! De uma família bem antiga e tradicional!

Normalmente Durak não levaria em conta tal afirmação, mas a intuição, a sensação, são intensas. Sangue não mente.

– Nesse caso, Karen, eu devo me fundir com você. Se meu espírito incorporar em você, você terá força e poder suficientes para derrotar a Glitter Force.

– E… eu?

– Adiante, Glitter Force! Vamos extirpar a Bruxa do Coração Negro!

Em segundos Durak assume a forma do fogo fátuo de coloração escura como a noite e incorpora com facilidade no corpo de [Karen]. Nuvens escuras envolvem [Karen] enquanto elx fica completamente sem roupa e outro traje, o uniforme tenebroso, adere ao corpo como segunda pele.

– Eu sinto. Dentro de mim queima uma chama. Este é o Fogo Negro. O Coração da Treva. Que a Treva Eterna nos abrace e nos envolva até que toda diferença seja apagada.

A aura negra expande-se poderosamente por todos os lados. A Glitter Vermelha, que se vangloria de ser a mais forte, é facilmente detida por [Karen]. Com a outra mão, [Karen] golpeia duramente as demais garotas, que são arremessadas por vários metros.

– E… ela é forte demais… retirada!

– E… eu me lembrarei disso, Bruxa! E eu vou me vingar!

A Glitter Force some no meio do ar, deixando [Karen] surpresx e aturdidx. O que elx fez? Que poder é esse? Durak recupera sua forma humana, mas ele está cansado e machucado.

– Heh… nós combinamos bem.

– Mas… o que aconteceu?

– Para ser bem sucinto, nós acabamos de entrar na Batalha do Graal.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s