Evangelho de Babalon – V

Todos estavam apreensivos e concentrados para a sequência da cena, certamente por sua complexidade e profundidade. Todos estão em suas posições enquanto eu e Riley voltamos de algum ponto obscuro, com as pernas bamboleando e um enorme sorriso de satisfação.

– Mu… muito bem, pessoal. Agora é para valer. Essa é a cena mais difícil. Estão todos prontos? Ótimo! Etienne chan, está pronta?

– Eu nasci pronta, senhorita Marlow.

– Oquei, retomando a partir da tomada anterior. Escriba, expressão de delinquente juvenil. Coadjuvantes, fazendo arruaça. Etienne chan, expressão de vitima inocente. Eeee… ação!

Gill entra em cena com Rei e um grupo de pessoas portando cruzes e tochas. Podiam ter sido menos óbvios. Cristãos fundamentalistas portam cartazes e armas nos dias de hoje.

– Ali está, Irmã Clarice! Ali está o Anticristo!

– Não vencerá, maldita criatura do Diabo! Em nome do Senhor, eu te repreendo!

A turba de fanáticos fundamentalista faz aquilo que costuma ser feito enquanto Rei segura com suas mãos uma Bíblia, diante do olhar aprovador de Gill. Madame ergue-se com classe e estilo, acompanhada de fumaça cenográfica para dar mais dramaticidade ao discurso.

– A quem chama de Senhor? Se soubesse com quem fala, beijaria os meus pés.

– Está escrita: adorarás apenas ao Senhor, teu Deus!

– Quem é teu Deus? Eu conheço a todos.

– Está escrito: Eu sou o Senhor de Israel e não há outro Deus além de mim!

– Irmã, está adorando um Deus que pertence a outro povo que não o teu. Também está escrito: façamos o Homem à Nossa imagem. Portanto, há mais de um Deus e eu estou diante da Assembleia dos Deuses.

– Você mente, como teu Pai! O Homem foi feito à imagem e semelhança de Deus Pai, Filho e Espírito Santo!

– Você tropeça em sua própria crença, Irmã. Não é compatível a Trindade onde Deus diz que só há Um. O Homem foi feito à Nossa imagem, Deus e Deusa, o Homem é reflexo da União Divino, Hiero Gamos, onde Deus é Transgênero, então o Homem é o Divino Hermafrodita.

– Mais mentiras! Deus criou primeiro o homem e da costela de Adão se fez a mulher, Eva.

– Pode o homem sem ventre dar à luz? Ou esta foi a saída dos rabinos para recontar na forma deles o Mito da Queda do Homem? Nem nisso teus padres foram originais, pois fraudaram a partir de uma fraude. Eu sei, porque fui eu quem deu ao Homem o Fruto da Luz.

– Ah, então admite que é o Diabo!

– A quem chamas de Diabo? Eu sou a Serpente Primordial, também chamada de Cristo e Lucifer. Eu dei ao Homem o Conhecimento para que cumprisse com o propósito de sua existência. Como quem trouxe a Verdade, a Luz e a Liberdade pode ser o Diabo?

– Deus te condene, maldita! Pela tentação, mentira e enganação, você provocou a queda do homem ao oferecer a ele o Fruto Proibido!

– E no entanto, o Homem não morreu ao comer do Fruto do Conhecimento, então quem mentiu não fui eu, mas este que você chama enganosamente de Deus. E o mais engraçado é que vocês vivem elogiando esse Deus pelo Livre Arbítrio. Como podem chama-lo de Deus se nem esta primeira escolha Ele lhes permitiu?

– O que adveio não foi liberdade, mas prisão, a prisão do pecado, por causa da desobediência do homem ao comer do Fruto Proibido!

– Não é o Fruto Proibido igualmente criação deste que chama de Deus? Não sou eu igualmente uma criatura criada por Ele? Não foi o Homem igualmente criado por Ele? Então que péssimo Criador é este que se revolta com sua obra por agir conforme a natureza e essência com a qual foi concebido? Não estive eu no Jardim do Éden oferecendo a Verdade, sem que este suposto Deus se interpusesse, ou impedisse minha intromissão, interferência, interação? Como pode chamar de Deus a este que é negligente, ausente e omisso?

– Nós fomos expulsos do Jardim do Éden por causa desse crime que você ajudou a acontecer! Agora nós vivemos nesse mundo cheio de dores e sofrimentos que é a consequência do pecado!

– Uma gaiola, mesmo que seja de ouro, ainda é uma prisão. Onde pode haver Livre Arbítrio quando o pecado é uma ameaça diante da escolha? Aquele que é Juiz e Carrasco não pode ser chamado de Deus.

– Deus é justo e misericordioso! Deus nos enviou seu Emissário, Cristo, para nos salvar da morte do pecado!

– Ah, sim, convenientemente o Usurpador encontra humanos com quem se associar e inventaram a maior fraude piedosa de todos os tempos. Os descendentes de Israel cometeram esse engano e os padres refogaram esse erro para suas agendas pessoais. Este que você chama de Deus não me enviou e aquele que este enviou não é Cristo. Eis a Revelação que o Homem não quer entender, pois desde o início dos tempos eu tenho estado entre vocês, dentro de vocês, ao redor de vocês.

– Mas foi Deus quem nos enviou o Cristo!

– Então não é Deus, pois precisou enviar um emissário para completar a obra que começou. Este que é tido por Cristo não o pode sê-lo, porque não preenche os pré-requisitos das profecias e não poderia cumpri-las, pois ajuntou consigo os Gentios, povos que o Usurpador não reconhece como sendo seu Santo Povo.

– Deus nos enviou o Salvador para que se cumpra a Lei e as profecias!

– E, no entanto, este que chama de Deus não cumpriu a Lei e eu mesma quebrei a Lei porque é absurda. Em todas as vezes que eu estive entre vocês, eu rompi com suas crenças equivocadas, eu aboli suas organizações religiosas e eu lhes dei os instrumentos para sua Revolução. Eis a Revelação que o Homem tem que entender: vocês são nossos filhos e filhas. Despertem desse sono, dessa ilusão, rasguem os véus da ilusão de Maya e tornem-se Deuses.

Fogos de artifício estouram em diversos pontos do palco, provocando muita fumaça, estrondos e fagulhas luminosas. Rei cai no chão, completamente nua, com suas roupas rasgadas, derrotada. A turba milagrosamente desaparece e Gill é destacada com um holofote para fazer o arremate.

– E… eu não entendo! Você é sensual, lasciva, provocante e exuberante. Como pode a Grande Meretriz ser Cristo?

– Azul, púrpura e carmim não são cores associadas ao divino por coincidência, senhorita Kurage. Cristo, Lucifer e Babalon vestem roupas com essas cores porque são a mesma pessoa. Eis a Revelação que o Homem tem que experimentar: Veni Vere Venus Verum Veneram Venereae. Vinde, Vede e Venere a Verdadeira Vênus pelo Prazer Venéreo. Tornem o corpo, o desejo, o prazer e o sexo suas ferramentas de autoconhecimento, iluminação e transcendência. Não há necessidade de templos, sacerdotes, textos sagrados ou de fórmulas. Tudo que vocês precisam é Amor. Amor é a Lei.

Trovões, relâmpagos e nuvens são providenciados pela equipe de claquete e de efeitos. A equipe de som de fundo providencia uma música clássica tocada em órgão, provavelmente retirada de um velho filme de terror.

– Eeee… corta! Valeu! Mande para a edição! Oquei pessoal, folga para todos. Nos vemos semana que vem.

Os holofotes vão sendo desligados, as janelas do estúdio são abertas e a luz do sol ilumina todo o ambiente. A equipe de cenário desmonta as peças, a equipe de luz recolhe cabos de força, a equipe de som desmonta os equipamentos. Os atores e atrizes trocam de roupa ali mesmo, tomam café, bebem algum tipo de bebida alcoólica ou vão se dispersando.

Rei está cercada de suas assistentes e dos indefectíveis paparazzos, como se ela não estivesse vestida parcamente por um roupão de banho. Madame parece feliz com a peça, então eu estou feliz. Meu corpo está dolorido, mas Riley dá um tapão nas minhas costas, alegre com o resultado.

– Faaala, escriba! Ficou bom, não ficou?

– [Ai] Eu acho que foi exagerado o espetáculo pirotécnico.

– Eu exagerei mesmo… que bom que ninguém se machucou e não houve um princípio de incêndio. Esse foi o piloto. Acha que a Sociedade vai aprovar o projeto?

– Eu não sei. Kate… aham… Venera sama… tem seus mistérios.

– Bom, se Etienne chan gostou, eu estou satisfeita. Vê se aparece lá em casa hem?

Eu junto o que sobrou do meu braço e percebo que madame não está mais presente. Enfim eu respiro mais aliviado.

– Senhor escriba… a Riley foi embora?

– Ah, oi, Gill. Ela acabou de voltar para Nayloria.

– E… eu posso ir embora também?

– Claro, querida.

– O…oquei… tchau.

Gill me surpreende me abraçando e beijando antes de sair saltitando através do portal dimensional. Bom, acho que só restou eu.

– O pessoal foi embora? Que bom. E aí, Durak kun, que tal aproveitarmos para tomar várias cervejas e ensaiarmos algumas cenas da estória na Academia Honnouji?

Com os braços de Ryuko chan envoltos em meu pescoço, eu não tenho escolha senão acenar positivamente. Quando eu voltar para casa, se eu conseguir voltar, eu vou estar um bagaço.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s