Algo se move nas sombras

Feihu Gekido, Xianpei Senbo e Dunji Shitto estão concentrados em um canto, bebendo e fumando, enquanto os convidados do evento vão saindo do Paço Municipal. O xogum acabara de confirmar que a cortesã seria a esposa do herdeiro e isso seria complicado para os três.

– Mas que fracasso, Gekido. Essa garota deveria estar morta.

– Eu apenas dei o nome do alvo e a estrada. Os mercenários foram contratados por Senbo.

– E eu tive boas referências desses homens pelo Shitto.

– Discutirmos entre nós de quem é a culpa não resolve coisa alguma. O fato é que a garota está viva. A questão é como.

– Eu investi muito dinheiro nesse serviço. Podem ter certeza de que irei procurar saber como isso é possível.

– Não se apoquente com pouca coisa. Eu também investi bastante e tenho vários informantes nesse exato instante investigando o assunto.

– Eu não sou muito inteligente, mas esse milagre deve ser obra desse cavalheiro que acompanha a cortesã.

– Inteligência nunca foi seu forte, Senbo. Eu considero milagre o senhor ser rico como nós. Acha mesmo que um único homem poderia proteger essa garota de vinte homens armados e treinados?

– Eu não sou inteligente… mas sou esperto, eu tenho faro, instinto e eu sinto que esse homem não é o que aparenta ser.

– Seu faro e instinto são ridículos.

– Calma, senhores. Eis que um de meus informantes está se aproximando. Vamos ouvi-lo.

– Senhor Gekido… eu trago notícias… sobre a missão.

– Que rosto espantado e assustado… fale logo, homem!

– Foi horrível, senhor… todos os nossos homens… mortos, esquartejados… horror!

– Por qual destacamento de polícia ou patrulha de exército eles foram mortos?

– Nenhum, senhor… eles foram atacados e mortos por um monstro da floresta.

– O que significa isso? Não brinque comigo!

– Oh, não, senhor… não é brincadeira. O senhor mesmo pode ver no necrotério o estado dos corpos.

– Senhores… a senhora Hyuei solicitou-me para ver com os senhores sobre o fracasso da missão…

– Senhorita Gaji Inbo… ao que parece houve uma interceptação sobrenatural nos planos da imperatiz.

– Interceptação sobrenatural?

– Meu informante aqui pode confirmar que os nosso homens foram atacados e mortos por um monstro da floresta.

– Isso é bem possível… aquela cortesã tem uma péssima reputação como feiticeira. Ou ela ou aquele homem misterioso devem saber como controlar essas entidades. De qualquer forma, a lei é bem clara quanto à prática de bruxaria. Os senhores pensaram em contramedidas?

– Infelizmente, senhorita Inbo, nossos recursos não são tão extensos.

– Como eu imaginava… nesse caso, eu terei que apelar para um conhecido de nossa família. Eu tenho certeza de que Kobori Tadamasa vai me ajudar.

– A… a senhorita conheceo terrível senhor Tadamasa?

Foi nesse contexto que eu, o escriba, entro na estória, em minha encarnação como Kobori Tadamasa, que futuramente seria conhecido como “o samurai dos ossos”. Esse é o destino de um bom samurai e de um bom mercenário. Um profissional das armas serve ao seu senhor, sem questionamentos, sem perguntas, sem dúvidas. A assistente da imperatriz levou consigo uma bolsa cheia de ouro e muitas promessas de títulos, terrenos e outras delícias carnais que ela e muitas cortesãs da corte poderiam me fornecer regiamente.

Eu analisei friamente a proposta, pois eu sabia quais os interessados na conclusão de minha missão. Nenhum havia sequer colocado no prato o peso do herdeiro, mas nas intrigas palacianas, o sangue de um herdeiro pesa menos do que o escândalo de uma cortesã ascendendo ao trono. Evidente que o xogum não sabia dos envolvidos nessa conspiração e eu podia muito bem fazer o papel de agente duplo.

Discretamente eu segui pela estrada até Kanagawa e não foi difícil encontrar o herdeiro passeando com sua futura esposa e o “tio” dela. Obake me identificou imediatamente e eu a ele. Um confronto entre nós destruiria muitos reinos, então eu desci do meu cavalo, retirei minhas espadas duplas e me aproximei de mãos vazias. Obake entendeu, acenou e aproximou-se para um breve palavrório.

– Saudações, Obake. Faz um bom tempo que não nos vemos.

– Saudações, Kobori. Eu fico satisfeito em ver que o senhor está em boa saúde.

– Aquele é o herdeiro e sua protegida?

– Sim, são eles.

– Bom, Oboke, minha presença aqui não é cortesia.

– Nunca é, meu velho amigo. Você sempre é chamado quando o serviço é duro demais ou perigoso demais. Aqueles que te contrataram devem estar desesperados. Mal sabem eles do que você é capaz.

– Mas você sabe, Oboke. Não é nosso destino lutarmos, então nós precisamos sentar e planejar um truque para enganar os verdadeiros monstros dessa estória.

– Sim, isso faz sentido. Venha, nós teremos que combinar tudo com o herdeiro e minha protegida.

Como se fosse um piquenique, Ningyo contou toda a estória até aquele momento. Ashinaga adiantou os nomes dos maiores interessados na execução da sua futura esposa e meu encontro com a senhorita Inbo indicou que as raízes da conspiração envolviam a senhora Hyuei, a mãe do senhor Ashinaga e esposa numero um do xogum. Os motivos e os objetivos da senhora Hyuei não eram importantes naquele momento, nos concentramos em fazer a melhor cena possível. Foi assim que o pintor retratou a arte com o demônio amparando a gueixa ferida. O herdeiro ficou a salvo e escondido. Eu conseguia contar facilmente os agentes da senhora Hyuei que estavam ali unicamente para testemunharem e se certificarem que eu concluiria a missão. Eu não tive problemas em “convencer” o único sobrevivente para contar aquilo que eu queria que ele contasse.

Ashinaga fez sua parte no teatro, chorou, pediu a cabeça dos responsáveis e fez aquilo que sua mãe esperava, anunciando que Hibei Yoshikazu seria sua esposa. As peças do xadrez estavam postas no tabuleiro e a movimentação indicava que o xogum corria sério risco de vida. Ningyo e Obake tiraram “férias” enquanto eu aguardava a minha deixa. Estrategicamente, eu doei os terrenos e bolsas de ouro para as pessoas certas e desfrutei de carnes nobres por muitos dias. Mas no momento certo, eu sumi sem deixar vestígios.

Um dia depois, a mãe de Hibei apareceu morta em circunstâncias suspeitas, mas a Polícia, habilmente manipulada, atribuiu a mim tal assassinato. Os reais criminosos devem ter tido uma surpresa e tanto, quando me viram ao lado do xogum, pronto para começar a limpeza. Eu não teria muito tempo, então eu levei o xogum e seu filho comigo ao esconderijo onde estavam Ningyo e Obake, bem longe das garras da senhora Hyuei.

Sem os freios, os conspiradores dentro da corte, seguiram com o massacre e, no meio disso, a senhora Hyuei aclamou-se como imperatriz absoluta, expulsando todas as demais esposas e cortesãs dos domínios da dinastia. O resultado foi que várias regiões declararam guerra e o reino ficou inteiro dividido.

O senhor Hyuei, destronado, mas vivo, apareceu ao lado de seu filho, com Ningyo e Obake, ladeados por um grande exército, pronto para trazer a ordem e a justiça. Admito, foi divertido devolver aos perversos o mesmo de maldade que haviam engendrado. Todos os conspiradores foram identificados, presos, processados e executados. Foram tantos nobres e aristocratas, que eu até enjoei de cortar essas cabeças tão ilustres.

Ao fim dos conflitos, o xogum renunciou e decretou o início da República. Ashinaga pode viver sossegadamente ao lado de Ningyo e Obake recebeu uma escritura de todas as terras onde seu povo habitava, assim tornou-se crime qualquer tipo de invasão. Pode parecer impossível tais finais felizes, mas até mesmo em nosso mundo eles acontecem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s