Cai o sétimo véu

– O que mais espera, escriba?

– Que caia o sétimo véu.

– Oh! Quer ver meu corpo nu?

– Mais do que tudo.

– Eu tirei seis véus de sua ignorância. Existe um segredo atrás do motivo de existirem sete véus.

– Sete semanas. Sete planetas sagrados. Sete portais para entrar no Submundo. O sétimo dia, chamado de sábado, o Sabbath e as festas lunares dedicadas a Vós. Tudo orbita em Vossa volta.

– Eu sou as sete formas de Amor. Mas o homem conhece apenas seis.

– Deixe que caia o sétimo véu.

– Todos vós sois parentes. Seja pela biologia ou mitologia, vós todos tiveram um ancestral em comum, ou são filhos do andrógino, do hermafrodita, o primeiro ser humano original. Todos vós sois miscigenados, imigrantes, invasores e colonizadores. Em vossa passagem sempre terão vencedores e vencidos, toda vossa civilização foi construída pela barbárie.

– Nós produzimos nossa própria forma de dor e sofrimento.

– Isso é natural também, pois é próprio de vossa essência vossa capacidade de construir coisas, daí que não há coisa alguma que seja artificial.

– Tiramos da natureza, do mundo, o nosso sustento, portanto a verdadeira riqueza é a natureza, tudo mais é produto de trabalho e manufatura humana.

– Vós vos organizásseis por famílias, grupos, clãs, vilas, cidades, estados, reinos e impérios. Vós vos configurásseis para vós vossas sociedades, governos e regimes. Aquilo que era comum e coletivo, passou a ser privado e restrito. Com isso separastes o mundo em regiões e passaram a distinguir vossas origens conforme o solo de onde vossos ancestrais surgiram.

– No entanto, não existe propriedade. Nem de terra, nem de gente. Não existe estirpe nem raça, senão a humana.

– Mas muito me agrada a diversidade que vós vos tornastes. Quanto mais diversificados, mais cosmopolitas vós sereis e chegareis inevitavelmente ao propósito de vossas existências.

– Ao mudarmos para diversos ambientes, nos diversificamos, mas não nos distinguimos totalmente, senão não haveria como ter reprodução entre etnias diferentes.

– Os nomes das etnias são invenções vossas, como os nomes dos continentes, países e cidades. A origem da qual vós tanto se orgulhais é tão arbitrária quanto vossa religião. Debaixo dessa espuma, vós sois uma só gente e carregam em vosso DNA a memória ancestral que se oculta dentro de todos os sistemas de crenças.

– Eu posso afirmar que a civilização humana tem existido por 100 mil anos debaixo de um patriarcado. Mas a humanidade tem existido por mais de 1 milhão de anos debaixo de um matriarcado antes da dominação do Deus Pai. Antes o domínio era Vosso, a Deusa Mãe, a Deusa Serpente.

– Mas eu não peço que meus filhos e filhas troquem um monoteísmo por outro. Eu quero voltar a ser adorada ao lado de meu Consorte.

– Ele, que eu identifico como o Deus das Bruxas, o Bode do Sabbath, o Deus e Senhor deste mundo.

– Este é o meu Amado. Ele é você e você é Ele. Não me adoreis sem celebrar o Hiero Gamos. Não me compreendereis a menos que saibam que, sem sangue e sacrifício, não há sacerdócio, vida ou renascimento.

– Assim como é Acima, assim é Abaixo. O homem desenvolveu uma estranha aversão a tudo que se refere ao corpo, ao desejo, ao prazer. Não se pode celebrar o divino sem que se entendam os mitos antigos. Toda civilização nasceu de um incesto e de um estupro.

– Oh, que aqueles que se escandalizem se apartem de mim! Eu amo meu Irmão e Ele me ama! Vós todos são filhos e filhas de um incesto ancestral!

– Eu vou além. Toda realeza é uma imitação da união divina entre um Deus e uma Deusa que são irmãos. Toda linhagem monárquica e sacerdotal não existiriam sem incesto.

– Oh, que tolice quando atribuem a mim a extinção do sacrifício ou do sangue. Eu sangrei quando eu tive minha primeira vez. Eu sangrei quando eu dei a luz. Meu Amado é o Rei Sacrificado que morre para que venha a primavera. Como poderia eu ser contra o sacrifício ou o sangue? Eu disse que não exigia, não que era proibido ou que lhes eximia do devido ritual.

– Não há religião ou crença onde não há sangue derramado.

– Não há vida nem renascimento sem sacrifício.

– O sacrifício é a comunhão necessária entre vós, para que entendam a sacralidade da vida. Sem o devido sacrifício, não há catarse e vós ireis satisfazer vossa sede instintiva por sangue por meio de guerras.

– Quando não apaziguamos nossa sombra interna, nós damos vazão ao nosso medo pelo ódio, agressividade e violência.

– Quando vós negais vossa sombra, vós não reconhecereis vossas pulsações e libidos. Vós vos tornareis em criaturas infelizes, insatisfeitas, frustradas e recalcadas.

– Disso advém a nossa necessidade pela existência de prostituição e pornografia, que são congêneres. Isso tem apenas aumentado e piorado nosso estado de indigência erótico-afetiva.

– Ouçam e entendam. Não há regras, proibições ou tabus. Olhem para vossos desejos, entendam por que existem, por que são acalentados e saibam como satisfazer vossas necessidades sexuais, com a mesma tranquilidade que saciam vossas demais necessidades naturais.

– Quando temos sede, não saciamos apenas com água. Quando temos fome, não saciamos apenas com arroz. Custa-me aceitar que nos resignamos a saciar nossa necessidade de amor com um único parceiro ou parceira.

– A monogamia é uma fábula. A heterossexualidade não é a norma da natureza.

– Espécies são mais bem sucedidas e resistentes a doenças, inclusive as venéreas, quando a reprodução é consumada com uniões múltiplas. Vossa sociedade seria muito mais pacífica, fraterna e humana se vós imitásseis vossos primos distantes, os macacos bonobos.

– Nós somos todos parentes e temos apenas seis graus de separação. Melhor faríamos se toda a formação e educação sexual fossem feita em casa, em família. Infinitamente mais seguro, mais saudável e mais recomendável que sejam os pais, não estranhos, que ensinem sexo aos filhos e filhas. Esta simples lição reforçariam os elos familiares e os vínculos de sangue.

– Olhem e vejam, então, que é a natureza que dita quando uma pessoa está madura, não sua idade. Todo ser vivo nasce e possui sexualidade. A criança e o adolescente não é um ser ingênuo, inocente e assexuado. Crianças e adolescentes sem educação ou formação sexual dão origem a adultos complexados. Adultos complexados vão tentar aliviar suas frustrações por meio de violência física e sexual. Cuidem das causas e as consequências desaparecerão.

– Que as crianças sejam incentivadas e estimuladas a conhecerem seu corpo e a terem saudáveis brincadeiras sexuais entre si. Todas as sociedades marcam a entrada para a idade adulta por um rito de passagem. Que todo jovem tenha ou um Tutor ou uma Tutora que o inicie pelo amor e sexo na vida adulta.

– Que todos tenham o direito e a liberdade de amar quem quiser, quantos quiser.

– Que em toda primavera seja celebrado o amor.

– Que a corte e a paquera façam parte da convivência social.

– Então que haja amor e sexo, livremente entre vós, pois todos os atos de amor e prazer são meus rituais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s