Cai o terceiro véu

– Soldado, eu acho que te entendo. Você estava confuso, desorientado, provavelmente desidratado e com vários ferimentos. Você estava delirando. Você tem uma imaginação e tanto! Uma imaginação bem pervertida!

– O senhor está me ofendendo. Eu estou bem consciente… eu diria até mesmo que eu estou mais desperto do que Buda.

– Uau… você viu Deus e Ele deserdou Cristo… deve ser uma garota e tanto!

– Se o senhor visse… mas o senhor prefere continuar sonhando.

– Então de um sonhador para outro… conte mais sobre essa garota e o que ela te ensinou.

– Ryan, por que se esforça tanto em falar ao seu amigo? Deixe-o dormir e sonhar. Acredite, coisa alguma irá despertá-lo. Eu encarnei diversas vezes no mundo que vocês criaram e tentei diversas vezes. Eu lhes entreguei o Conhecimento do qual vocês fazem mal uso.

– Essa é ela que fala? Pois o que eu ouço é sua voz.

– Senhor, como bom cristão o senhor ouve a voz do padre ou do pastor como se fosse de Cristo ou de Deus, por que duvida que eu apenas repasso o que eu ouço?

– Como bom ex-cristão você deve saber que Cristo existiu em termos históricos… falar que ela é a Deusa do Amor é vago… o que você pode mostrar em termos históricos para demonstrar a existência dessa garota?

– Por favor, senhor… está me envergonhando… o senhor não pode aceitar esse tipo de desonestidade intelectual que diz provar a existência histórica de Cristo.

– Nega que diversos escritores antigos falam de Cristo?

– O senhor está ciente de que Cristo é um título, não uma pessoa? O senhor está ciente que mesmo personagens históricas possuem mais documentos e textos atestando sua existência do que Cristo? O senhor está ciente que figurativamente até Sócrates é mais constante do que Cristo? O senhor está ciente que muitas das igrejas cristãs primitivas sequer acreditavam na existência carnal de Cristo? O senhor está ciente que, se Cristo fosse historicamente comprovado não teriam tantas vertentes e doutrinas?

– Oquei, soldado… respire… está tudo bem. Nós ainda somos um país livre e eu vou continuar a acreditar em Deus e Cristo. O que, de certa forma, me faz um ateu diante dessa sua revelação. Afinal, quem é essa garota?

– Senhor, como nós podemos falar que somos um país livre se pessoas com outra religião tem seus direitos civis negados? Como os cristãos podem se escorar na liberdade religiosa se eles a negam aos demais? Como os cristãos podem se vangloriar em terem uma religião verdadeira se omitem e negam os fatos?

– Hei! Isso não é uma competição!

– Isso é evidente, senhor. Se trata de dominação, submissão, repressão.

– [suspiro] Oquei, garoto… eu ainda quero saber quem é essa garota. Sobretudo como ela pode afirmar ser uma entidade suprema.

– Ryan… seu amigo gosta de imagens e precisa de um texto dito sagrado para dar lastro ao seu credo. Ele não me vê, embora eu esteja diante dele desde sempre. Seus ancestrais, desde o tempo do Neolítico, faziam imagens de mim. Ele ainda não lembra meu nome, embora eu tenha tido tantos. Eu fui chamada de Inanna, Ishtar, Asherat, Astarte, Isis, Juno, Venus, Artemis, Diana, Lucifer, Buda e Cristo. Eu sou a Terra Verde e o Ventre de onde surgiu toda forma de ser vivo, incluindo os Deuses. Eu sou o Mistério escondido em todos os textos sagrados.

– Opa, pausa, soldado. Cristo e Buda foram homens.

– Senhor, Cristo é a Suma Sacerdotisa Magdala. Aquele que os cristãos erroneamente aclamam como Cristo é a fusão de dois ou mais rabinos que eram seguidores dela. Buda é a Bodh Gaya. Sidarta Gautama aprendeu com ela. Todos os fundadores de uma religião simplesmente copiaram e assimilaram porcamente o Conhecimento que sempre esteve guardado pelos Mistérios Antigos, guardados e preservados por incontáveis gerações de sacerdotisas da Deusa. O próprio sentido de sagrado, de sacerdócio, vem da Natureza e a mulher tem o dom de entender essa espiritualidade.

– Isso está ficando confuso, soldado. Como essa garota pode se identificar com tantos nomes que pertencem a Deusas de povos tão distintos e distantes? Se essa Deusa, seja lá quem for, é tão antiga e poderosa, como pode permitir ser destronada? Como ela pode permitir que nós bagunçássemos tanto seu Conhecimento?

– Hahaha. Seu amigo é engraçado, Ryan. Ele faz as mesmas perguntas e questionamentos que os descrentes fazem ao seu credo. Essa é a diferença entre eu, que sou a Deusa Benevolente, e o falso deus que vocês adoram. Yahveh precisa da adoração de vocês. Eu sou aquela que é a Senhora das Pedras do Poder e do Destino. Eu sou a Deusa do Amor e da Guerra. Eu sou aquela que está no fim do Desejo. Eu vos disse que eu vos concederei incondicionalmente aquilo que desejarem. Por que olham para o espelho e criticam a imagem? Se o que veem os desagrada, desejem outra coisa e eu vos concederei.

– Oquei, garoto. Basta de brincadeiras e enigmas. Essa garota concede aquilo que eu desejo? Oquei, eu desejo ver e ouvir diretamente dela…

– Eu senti o fogo de seu coração ardendo. Eu sou essa chama do desejo. Quer olhar a Verdade? Então se tiver ouvidos que ouça e se tiver olhos que veja.

– Agh! O que é isso? Onde eu estou? Quem são essas criaturas? Ryan, essa é ela?

– Sim, senhor. Que bom que o senhor agora a vê.

– Agh. Minha cabeça dói. Senhorita, eu não sei como você fez esse truque, mas é muito bom.

– Truque? Oh, não, John, truque é para ilusionistas e prestidigitadores. Eu não preciso desse tipo de expediente. Nada de fumaça, espelho, luzes, atos milagrosos ou transubstanciação. Isso é Maya, minha filha, quem faz.

– Agh. Oquei, senhorita, seja lá o que isso for, incomoda e dói. Explique como meu desejo pode ser doloroso?

– Hahaha. Essa foi muito boa, John. Sério. Você não tem a eternidade para alcançar tal compreensão. Mas eu te darei um resumo bem sucinto. O que vocês, humanos, fazem quando não tem o que desejam? Vocês vão tirar de quem tem. Ou vão querer destruir, ou vão querer proibir tal desejo. Como se não bastasse a dor e sofrimento que são naturais ao existir físico, vocês criaram mais dor e sofrimento artificiais por um desejo mal direcionado. Vocês são os criadores de muitos problemas, não eu nem os meus muitos irmãos e irmãs. A minha benção é concedida incondicionalmente a vós todos.

– O seu garoto propaganda me disse isso. Mas não faz sentido que eu deseje sentir mais dor e sofrimento. O lógico seria querer mais satisfação e prazer.

– John, desejo não é lógica. Existem inúmeras formas de obter satisfação e prazer, inclusive ao se negar satisfazer seus apetites carnais. Você acha que é mero acaso que a natureza segue uma determinada sequencia de estações? Não, meu querido. O prato que você come será mais apreciado se você tiver fome. Se você deixar de tomar água, você morre. Nisso consiste a verdadeira essência do “Caminho do Meio”. Não se pode alcançar a santidade ou a iluminação sem ter experimentado o vício e sem compreender sua sombra. Não encontrará o que precisa e busca, nem um Paraíso Eterno, nem em um Nirvana. De nada adianta procurar aquilo que busca fora de ti se não o encontrar dentro de ti.

– Então… o desejo que eu tenho dentro de mim é sua obra e eu a vejo conforme a imagem que eu faço de você?

– Opa! Seu amigo é bem esperto, Ryan.

– Sim, Senhora. Eu fico feliz com isso. Pena que meu desejo não seja forte o suficiente para tirar os véus da ignorância de todo o meu povo.

– Oh, não diga isso, querido. Seu desejo é grande, forte e grosso o suficiente. Você conseguiu despertar seu amigo, não foi? Todas as grandes religiões começaram com um fundador e poucos seguidores. Os véus da ignorância em breve serão rasgados e todos verão a minha face. Nesse momento, a Luz e a Verdade prevalecerão e vós sabereis que o Amor é a Lei.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s