Neon Genesis – XIII

Doutora Ritsuko me chutou para fora da maca, do hospital, assim que eu recuperei minhas forças. Deja vu. Com a delicadeza que lhe é peculiar, jogou o uniforme de escola, dando a entender que eu devia seguir com esse teatro de fantoches conduzido por Gendo Ikari. Sensei Mako me recebeu como se fosse outro dia qualquer e eu sentei junto de Toji e Kensuke. Rei e Shinji continuavam parecendo um casal. Para variar, Asuka mandava bilhetinhos para mim com coisas escritas que parecem ter sido tiradas desses livros que surgiram com o sucesso “50 Tons de Cinza”.

Alguém bate na porta, sensei Mako atende, lê o bilhete. Parece uma reprise.

– Meninos e meninas! Atenção! Por favor, vamos dar as boas vindas a mais um aluno. Todos em pé, por favor. Por gentileza entre rapaz e apresente-se.

Entra um garoto, fisicamente parecido com Shinji, mas suas expressões são muito parecidas com as da Rei. Tem algo nele que me deixa nervoso.

– Saudações para todos! Eu sou Kaworu Nagisa. Eu espero que possamos nos dar todos bem.

Dessa vez quem vai ao delírio são as garotas da classe. Gritinhos, olhos brilhantes, bocas babando. Mas Kaworu não olha nenhuma das garotas e senta-se bem ao lado de Shinji.

– Shinji senpai… por favor… cuide de mim.

– Eh? Ah! Olá… Nagisa kun.

Rei se levanta, visivelmente irritada e sai correndo da sala. Shinji tenta acompanha-la, mas Kaworu o impede com palavras doces e carinhosas.

– Shinji senpai… não conspurque sua pureza com essa criatura. Eu vim de longe, muito longe, apenas para dar o amor que meu senpai merece.

Kensuke começa a tirar sarro enquanto Toji encara Kaworu.

– Que papo é esse? Vai sentar no meio das meninas. Aqui só senta homem.

– Suzuhara senpai… o que é homem? O que é mulher? Não somos tod@s, fih@s de ambos, macho e fêmea? Então somos todos hermafroditas…

– Não vem não, seu pervertido, pederasta! Eu sou muito macho e eu gosto é de pepeca, ouviu?

– Isso é o que você diz com seus lábios, mas não com seus olhos e coração, Suzuhara senpai.

– Quem diria, hem, Shinji? Cortando nas duas hem? Quando que você ia nos apresentar seu namorado?

– Ke… Kensuke! Pare com bobagens! Nagisa kun está apenas brincando, ele está apenas sendo gentil!

– Eu estou, Shinji senpai? Então porque você está todo corado, como uma colegial apaixonada?

Shinji estava em seu pior pesadelo. Ele era o centro das atenções. Eu pedi licença para sensei Mako e fui atrás de Rei. Eu tinha a impressão de que ela devia saber algo de Kaworu que a fez fugir. As vidraças da escola estremeceram quando soou o sinal de ataque de anjo. O indefectível helicóptero da NERV aparece para nos levar a todos, menos Rei, que foi na frente.

O Geofront tinha sido invadido por este anjo. Certamente deve ser o mais forte e esta pode ser a ultima batalha. A unidade zero não está sendo pilotada pela Rei, foi colocada para operar com um simulacro. Rei não é achada em lugar algum.

– Há! Quem precisa da Miss Simpatia! Eu vou acabar com esse anjo! Vocês verão que eu sou a melhor piloto!

Asuka de dentro de seu EVA pula para frente do anjo e atira com tudo que meu rifle tem, usa as facas progressivas, mas sem efeito, o campo ATF é forte demais. O EVA de Asuka é facilmente derrubado pelo anjo que avança para dentro do Geofront, em direção do Dogma Central, onde estão escondidos os segredos mais preciosos de Gendo.

– Shinji! Agora não é hora de brincar! Você deve despertar seu verdadeiro potencial! Assuma a forma de seu verdadeiro Eu!

A voz no intercomunicador zune uma mescla das vozes de Gendo e Misato, junto com a microfonia. Shinji treme todo e tenta, como eu, encontrar Rei desesperadamente. Então eu vi… debaixo daquela capa e elmo que o anjo tinha… era Rei. Não a Rei que nós havíamos conhecido, mas a sua forma verdadeira. Rei era a reencarnação da criatura que foi chamada de Lilith.

– Durak! Se realmente ama Rei, se realmente quer que vocês tenham algum futuro, você deve despertar o Deus da Floresta e deter a Rei!

Este era o desejo da Deusa? Este é meu destino? Enfrentar, matar meu amor ou morre por sua mão? O ser humano reclama de sua vida, de suas dores, de seus sofrimentos, acusando o divino, mas fomos nós quem voltamos a nossas costas ao que é sagrado. Nós, no alto de nossa arrogância, prepotência e petulância queremos julgar aos Deuses. Mas nossas dores, nossos sofrimentos, não os naturais, que toda criatura viva está sujeita, mas os artificiais, são causados por nós mesmos.

Outro alarme soa. Invadiram o Dogma Central. O Geofront está para ser evaporado, com todo seu comando, pelo anjo que eu conhecia por Rei. Mas se o Dogma Central for aberto e este outro anjo encontrar o embrião de Adama ou o corpo da criatura chamada de Lilith, ocorrerá o Terceiro Impacto e será o fim da humanidade tal como a conhecemos.

– Durak kun! Segure a Rei! Eu vou segurar Kaworu!

A voz de Shinji está clara como cristal. Ele está bem mais decidido e resolvido do que o costume. De alguma forma ele sabia também que ali era Rei e quem estava no Dogma Central era Kaworu. Se Rei era um clone de anjo, o que impede que Kaworu seja um anjo na forma humana? Nós simplesmente sabíamos. Porque nós tínhamos arrancado os véus da ignorância que encasula a existência carnal.

– Roger! Eu seguro a Rei. Por favor, veja se Asuka está bem!

Shinji segue em direção ao Dogma central enquanto eu consigo, por vontade própria, despertar o Deus da Floresta. Antes de lutar, eu tento falar com a alma da Rei.

– Rei! Rei chan! Por favor, me escute! Seja lá qual for seu motivo ou objetivo, pare! Nós podemos tentar achar outra solução!

– Ah… Durak kun… eu gostaria muito de estar em seus braços, mas não desse jeito. Rei chan não existe. Esta sou eu… Layla. Eles roubaram de mim Adama… meu amado… pior… tentaram mata-lo… como se não fosse o suficiente, agora fazem cópias dele. Meu Adama não é o monstro de Frankenstein. Eles… os humanos… eles são pior do que um verme, pior do que um vírus… você mesmo vê, Durak, do que o ser humano é capaz de fazer! Matam ao seu próprio povo! Estão matando o único habitat e casa que lhes foi confiado pelos Deuses! Agora querem espalhar essa doença pelo espaço! Há um motivo muito simples para que não se ache sinal de vida por milhares de anos luz daqui! Gaia, esse mundo, foi feito para exilar essa praga! Não há limite para o ser humano! Ele tem um vazio no coração que jamais será preenchido ou satisfeito! Nós temos que eliminar a humanidade! Para o bem maior!

– Eu poderia facilmente concordar com você, Layla. O homem é ganancioso, desonesto, dissimulado… mas eu não acredito que nossa natureza seja assim. Parte de mim é humana… assim como você, Layla. Todas as coisas boas que estão em nós… também é humano. Eu não acredito que Gaia seja uma prisão, mas sim, um laboratório de experiências, onde o ser humano pode depurar, por seu esforço, sua alma, ao ponto de poder evoluir para sua forma verdadeira, como filho e filha dos Deuses. Nós temos que aprender… pela dor que é própria da existência, pelo sofrimento que é próprio de todo ser vivente… que nós temos que ser senhores de nós mesmos. Quando nós cedemos aos nossos impulsos carnais, nós rebaixamos nossa essência… nós temos a ilusão de estarmos livres, mas na verdade nós somos prisioneiros de nossos apetites. Nós temos que ser senhores de nós. Somente controlando, pelo livre arbítrio, nossos apetites, é que seremos realmente livres, pois disciplina é liberdade.

– Durak kun! A… aqui é Shinji… eu… estou triste… muito triste… eu matei… Kaworu… mas… é como se eu tivesse perdido minha alma…

Rei, melhor dizendo, Layla, aproveita a distração, me derruba e foge em direção da superfície, para então subir até a estratosfera, para assimilar o máximo de espíritos humanos desencarnados o suficiente para causar o Terceiro Impacto.

– Tal como eu esperava e planejava… mesmo no final, Rei ainda está consciente no corpo do anjo e está cumprindo minha ultima ordem, que tornará possível concluir o Projeto de Instrumentalidade Humana.

– Pai! Do que você está falando? Se isso continuar…a Rei… o mundo… irá desaparecer!

– Vocês, crianças, precisam entender de uma vez por todas. Eu estou disposto a tudo, tudo mesmo, para concluir meu projeto. Eu abriria mão de minha própria vida, se for necessário… como Cristo mesmo o fez.

– Não! Eu não quero! Eu me recuso! Eu quero que a Rei viva! Eu quero minha irmã de volta! Eu quero me casar com Asuka! Eu quero que este mundo continue a existir!

Shinji e o EVA unidade um fundem-se em um único ser, tomando a forma de seu verdadeiro Eu, para unir-se carnalmente com Rei/Layla, cessando o Terceiro Impacto, ao mesmo tempo em que vertia um liquido rosáceo e dourado. Shinji e Rei, unidos, recriaram o Hermafrodita Primordial, o Demiurgo, que criou Gaia e essa realidade tempo-espacial.

Abençoando o Hiero Gamos, estava Ishtar, que sorria para todos nós. Ishtar vertia suas bênçãos diretamente ao ser humano, sem precisar de templos, textos sagrados, sacerdotes, representantes ou intermediários.

– Isso, meu querido e muito amado, resume tudo: Amor é a Lei.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s