Neon Genesis – XI

Gaia girou em sua dança cósmica e eu me vejo encarando um teto desconhecido, o corpo amortecido, encharcado com fluidos orgânicos e a mente envolta por uma névoa. Esta deve ser uma boa descrição de um soldado após o combate e nós conseguimos, até o momento, vencer contra três anjos. O som da água de chuveiro e o som melodioso de uma voz feminina me faz lembrar que um motel foi meu campo de batalha. Misato chan sai do banheiro envolta em uma toalha, abre o frigobar e se serve de uma lata de cerveja.

– Puxa… incrível como um chuveiro dá essa sensação revigorante. Você bem que está precisando, Durak. Olha, foi divertido, faz tempo que eu não sinto um homem assim, mas foi apenas sexo e nada mais. Desculpe eu sair correndo, mas eu tenho compromissos para atender no Geofront. Não demore muito, senão Ikari sama pode te dispensar. Tchau, Durak.

Minhas pernas ainda estão bambas, eu me arrasto para o chuveiro, tomo banho, me enxugo e me troco. Eu não estou reclamando, mas desde quando as mulheres se liberaram tanto a ponto de abandonar as fantasias românticas, a ponto de serem capazes de transarem, sem crise, sem neura? Quando as mulheres se tornaram capazes de inverter o jogo e de fazer o homem um objeto sexual?

Eu estou super atrasado e o ônibus não colabora. Tentando me distrair, observando o público em volta, quando eu vejo claramente Shinji saindo de um edifício, com o rosto avermelhado e declinando seu corpo na direção de Rei, como se estivesse pedindo perdão por algo. Chega o ônibus e eu pude ouvir Shinji gritando de longe.

– Hei! Segure o ônibus! Eu vou embarcar nesse ônibus!

Todo esbaforido, Shinji respira fundo para recuperar o fôlego enquanto tenta achar as moedas para a tarifa, só aceitam troco exato. Eu volteio meus olhos e insiro as moedas no coletor, liberando a catraca.

– Ah! Obrigado… Durak, certo? Obrigado mesmo. Eu prometo que eu te devolvo.

– Sem problema… Shinji… era a Rei do outro lado da rua?

– Quê? Ah… sim, era a Rei. A capitã Misato não foi ao comando da NERV, então meu pai pediu que eu entregasse o novo cartão de acesso para Rei…

– Você… parecia constrangido e embaraçado…

– Ah é… pois é… aconteceu… não foi de propósito… eu entrei no apartamento de Rei… a porta estava aberta… eu estava olhando sua penteadeira, um óculos quebrado, quando… eu senti que tinha mais alguém atrás de mim… eu me voltei… oh, puxa… eu vi… Rei estava saindo do banho…

– Você viu Ayanami chan completamente nua…

– Pois é… ela não gostou que eu estava mexendo nas coisas delas, ela foi pegar o óculos de minha mão, nós tropeçamos… oh, puxa… eu caí em cima dela… minha mão… eu toquei no seio de Rei…

– Isso explica toda a cena que eu vi. Mas diga, Shinji… existe algo entre você e Rei?

– A… ah? Não! Eu e Rei? Não! De forma alguma! Não tem como um garoto como eu pensar em ter algo com a Rei. Acontece que… sei lá… nós temos… um elo especial, uma conexão… nós conseguimos nos dar naturalmente muito bem.

– Bom, isso não é da minha conta. Mas eu fico intrigado tentando entender o motivo pelo qual Asuka tem tanta raiva de você.

– Pfff… o que eu posso dizer? Ela é competitiva e não gosta de ficar em segundo. Ela deve se sentir acuada, ameaçada, pois todo mundo fica falando que eu sou o Garoto Prodígio.

– Mas eles estão certos. Eu mesmo pude ver. Suas taxas de combinação com seu EVA são simplesmente impossíveis de existir, considerando que você chegou sem qualquer treino ou calibragem. Shinji, como engenheiro de seu EVA, eu preciso saber. Você sabe como você interage tão bem com seu EVA?

– A… aaah? E… eu não sei. Eu só… sento ali e… algo dentro de mim parece saber de cor como funciona meu EVA.

– Shinji… isso é importante… eu posso colher um fio de cabelo seu?

– Eh? Um fio de cabelo? Ah, sei lá… pode…

Eu tive que aproveitar essa chance. Shinji, o Garoto Prodígio, é tão ingênuo quanto aparenta. Eu me sinto ruim com isso, mas esse fio de cabelo pode ser a chave para abrir essa Caixa de Pandora que o senhor Ikari tanto mantém trancada.

– Hã… Durak… eu acho que é a capitã Misato naquele blindado seguindo bem atrás do nosso ônibus.

– Motorista! Pare este ônibus! Isto é uma urgência! Shinji! Durak! Saiam desse ônibus imediatamente! O Geofront está sendo atacado por um anjo que se divide em dois! Rei e Asuka estão conseguindo segurar, mas não por muito tempo!

Não transcorreram muitos minutos desde que Misato chan e eu estávamos na cama daquele motel, mas lá estava ela, com seu uniforme e expressão severa. Ali eu tinha que falar com a Misato em seu papel de capitã. Shinji fica todo encolhido diante da capitã Misato, enquanto eu a encaro olho no olho. Subordinado, sim, submisso, jamais.

– Vamos, meninos. Nós precisamos de vocês.

Shinji embarca no mesmo providencial helicóptero da NERV, como se fosse um aluno prestes a ser repreendido pela sua professora. Misato chan mantém sua postura, ela sequer pisca ou desvia o olhar quando nos olhamos. De seus lábios, outrora cheios de gemidos e sussurros, saíam apenas ordens.

– Capitã Misato falando. Roger. Anjo em estado inerte. Um artefato nuclear lançado pela OTAN deteve parcialmente o anjo. Idiotas! Isso foi tentado outras vezes e o anjo retorna com força total. Todo bem. Eu sei que meus meninos conseguem arrumar essa bagunça. Cambio, desligo.

Misato chan solta um suspiro, desliga os intercomunicadores e fecha a claraboia que nos separa do piloto do helicóptero. Sua expressão muda radicalmente e ela afrouxa alguns botões de seu uniforme. Em alguns minutos, a capitã Misato dá lugar à cortesã Misato.

– Pessoal… a coisa está feia… Durak, Shinji, se vocês pretendem continuar a desfrutar de minha companhia, vocês terão que me ajudar. Sim, Shinji, não adianta ficar com essa cara de espantado, embaraçado, constrangido. Eu sei. Você vive contando vantagem com Toji e Kensuke de estar “vivendo debaixo do mesmo teto” do que eu. Eu sei que eu sou uma figura constante em seus sonhos molhados. Se você quer realmente ficar “debaixo do meu teto”, você vai ter que ouvir Durak e fazer exatamente o que ele disser. Quanto a você, Durak, se você for bem sucedido nessa missão eu… vou fazer vistas grossas e você… terá alguns minutos com a Rei ou a Asuka… ou as duas… eu sei que elas irão entender e colaborar. Então, meninos… o que podemos fazer para repelir esse anjo?

Shinji tinha desmaiado. Eu custo acreditar que esse garoto seja tão ingênuo assim. Os padrões dos tipos e dos ataques dos anjos são sempre únicos e distintos. Nós não podemos nos aproximar muito, graças ao isolamento causado pelo artefato nuclear, mas eu consigo observar um pouco o anjo através de um telescópio. Algo veio em minha cabeça. Água, terra, ar… então esse anjo deve ser do tipo fogo. Um ataque com projéteis apena o tornaria maior e mais forte. Ele não está inerte, ele está em fase de metamorfose, como uma lagarta dentro de um casulo. O que significa que aquela não é sua forma definitiva e isso é muito preocupante e assustador. Nós tivemos bastante dificuldade em combater anjos de nível básico… não teríamos muita chances se enfrentarmos um anjo completamente evoluído.

– Misato chan… melhor dizendo… capitã Misato… o anjo não está inerte. Ele está em metamorfose. Aquilo que estamos vendo é apenas uma casca, um casulo. Quando essa casca partir, o anjo terá sua forma definitiva e eu não creio que tenhamos chance de repelir um ataque desses.

– Então… é o fim?

– Ainda não… mesmo depois de sair do casulo, o anjo demorará para assumir sua forma definitiva… como a borboleta que acaba de sair do casulo demora a abrir suas asas. Nós teremos muito pouco tempo… mas um ataque combinado, de dois pilotos, perfeitamente sincronizados, pode tirar vantagem desse tempo escasso e acertar o núcleo do anjo. Mesmo se ele se dividir, cada piloto acertará o núcleo de ambas as metades. Mas nos iremos precisar de dois pilotos com sincronização perfeita… pilotos que tenham a mesma ligação que os amantes possuem. Quais pares satisfazem esse requisito, capitã Misato?

– Hmmm… Rei e Asuka estão mais para concorrentes do que amantes… Rei e Shinji estão mais para irmãos… parece absurdo, mas nós teremos que apostar na dupla Shinji-Asuka.

– Hãããã? I… isso é impossível! Eu e Asuka… Asuka me odeia!

Foi só falar de Asuka que Shinji recobra os sentidos. Ambos tentam negar e esconder, mas existe algo entre os dois. Eu não estou contando com o tempo, então eu proponho algo que aparentemente soa terrível para Shinji.

– Capitã Misato… está bem claro que Shinji e Asuka sente algo um pelo outro, mas por não conseguirem expressar seus sentimentos, eles ficam nesse relacionamento tsundere. Nós não temos muito tempo disponível, então eu sugiro que ambos fiquem enclausurados em uma “cela de amor” até que sejam capazes de serem honestos, consigo mesmos e com os demais.

– Du… Durak kun! Eu achei que você fosse meu amigo!

– Sua ideia é maluca… mas as outras ideias eram também e funcionaram. Para falar a verdade, eu gostei da sugestão. Eu convivo com eles e é chato ficarem nesse nem fode nem sai de cima deles. Muito bem! Shinji! Asuka! Vocês estão confinados juntos a partir de agora. Vocês devem se acertar. Isso é uma ordem!

Shinji desmaia novamente enquanto Asuka xinga horrores pelo radio. Até um marinheiro coraria com os palavrões que Asuka proferia. Curiosamente o senhor Ikari aprovou e concordou com o “projeto”. Asuka protestava, mas as portas foram fechadas com ela e Shinji, ainda em coma.

– Pare de reclamar, Asuka. Lembre-se. O futuro da humanidade depende de vocês. Façam algo. Vocês tem até o despertar do anjo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s