Neon Genesis – V

Não havia tempo para recolher os pedaços do meu coração estilhaçado. O senhor Ikari falou algumas bobagens frugais com Rei e pediu para que ela se apresentasse para seus exames de rotina com a doutora Ritsuko. Eu mal ouvi ou percebi quando o senhor Ikari instou-me a segui-lo para os hangares onde estavam os EVAs, eu fui seguindo seu passo de forma automatizada. O senhor Ikari teve que me sacudir para que eu retomasse meu foco.

– Hei, Durak, você está comigo? Olha, eu sei que você gosta muito da Rei, mas, assim como você, aconteceu muita coisa com a Rei nesses quatorze anos. Isso vale para as outras meninas, elas precisarão de um tempo para se acostumar com você e se lembrar de você. Dê um tempo para elas. Eu sei que em breve nós teremos progressos e nós deixaremos de ser tão azarados com mulheres. Mas enfim, chegamos. Eu espero ser desnecessário lembrar de que tudo que você ver e ouvir deve permanecer em sigilo supremo. A NERV não é a única agencia internacional paramilitar interagências. As informações, dados e elementos que temos aqui, se caírem em mãos erradas, podem ser catastróficos. Ah, sim! Não foram apenas as meninas que mudaram com o tempo. Você deve se preparar para uma surpresa ao ver como estão os EVAS.

O hangar abre o portão e eu vejo um enorme gigante envolvido em um material aparentemente metálico. O corpo era humanoide, a escala estava proporcional e as partes do tronco estavam conectadas de tal forma que destoava da aparência de um autômato. Eu estranhei as ombreiras e a decoração pintada no casco metálico, mas era evidente que aquilo era um dos clones do anjo, aquilo era um EVA.

– Então? O que achou?

– Eu preciso conferir as plantas. Ver o que vocês acrescentaram. Checar os equipamentos inseridos. Checar a interação entre piloto e EVA. Mas, assim, por cima, eu espero que vocês não tenham feito muita burrice.

– Agh! Doeu! Bom, eu vou te deixar trabalhar. Eu tenho que me preparar, pois daqui a pouco Misato deve trazer o Shinji para cá. Ah, sim… Durak, em hipótese alguma Rei e Shinji devem lembrar que são irmãos, oquei?

O senhor Ikari acena de costas para mim enquanto some pelos corredores. Realmente eu tenho muito trabalho a fazer, mas mesmo assim eu tenho que saber mais sobre esses anos perdidos que eu estive separado da Rei. Será difícil, eu pressinto, pois a NERV tem muita coisa a esconder. Um funcionário chamado Shigeru Aoba surge com as plantas do EVA unidade zero, com a Rei como piloto designada. As plantas são uma bagunça e estão com as medidas completamente erradas. Eu decido olhar cada parte do EVA, de cima a baixo. Realmente, uma bagunça parecida com as plantas.

Eu terei que reformular tudo. Do zero. Eu respiro fundo e tento me acalmar. Com facilidade, eu abro o compartimento que dá acesso ao piloto. Lastimável. Parece um cockpit de um piloto de avião. Ao menos o painel é costumizável. As manoplas de direção são firmes e funcionais. O assento do piloto é confortável e permite boa mobilidade. Eu noto que há um motor nuclear alimentando as funções básicas, algo completamente inútil, desnecessário e perigoso. Em uma estimativa otimista, um piloto da NASA demoraria dois meses para dominar as funções disponíveis no painel. Eu consigo acessar a “raiz” do programa da CPU embutida no EVA em alguns minutos e acesso as ligações neurais. Desesperador. Isso explica a falta de “funcionalidade” do EVA. Os engenheiros que fizeram as “melhorias” na unidade zero configuraram as terminações neurais como se fossem meros nanochips de uma CPU.

Eu terei que “zerar” os registros bem como quaisquer resto de programação que exista entre as ligações neurais e a CPU, só então eu poderei recalibrar o EVA para ficar compatível com sua piloto. Considerando que isto deve ser meu ponto inicial para depois cuidar dos “acessórios”, para início dos meus trabalhos, eu precisarei da presença de Rei nesta cabine de comando dentro do EVA… não que eu tenha segundas intenções… ou pelo menos eu espero que não.

Perambulando erraticamente pelos corredores do Geofront eu encontro com a funcionária Maya Hibuki que me informa que Rei tinha ido à escola. O senhor Ikari havia dito algo sobre fazer escolas que seriam academias para os pilotos de EVA. Para o bom funcionamento dos EVAs e torna-los devidamente operacionais aos seus pilotos, eu devo insistir com o senhor Ikari em me matricular nessa escola… não que eu tenha segundas intenções… ou pelo menos eu espero que não.

Repentinamente, uma sirene toca estrondosamente e sinais de emergência giram alucinadamente suas luzes vermelhas. Muita correria e nervosismo. Um anjo tinha aparecido nas cercanias do porto de Tóquio. A voz do senhor Ikari denota irritação nos alto-falantes, algo sobre o inútil do Shinji, solicitava a presença de Rei e a imediata preparação do EVA unidade zero. Não! Muito cedo! Eu terei que fazer em segundos o que levaria um dia inteiro! Meu estado de choque e pânico é interrompido por alguém batendo em meus ombros.

– Durak kun? Ikari sama quer que eu vá combater o anjo. Você conseguiu tornar o meu EVA operacional?

– Ah… ehhh… senhorita…

– Ayanami chan, por favor.

– Ayanami chan, eu peço que a senhorita se posicione em seu EVA para que eu faça a calibragem manualmente. Não é suficiente, mas ao menos irá fazer seu EVA operacional e a senhorita poderá combater o anjo com alguma segurança.

– Minha segurança e minha vida são descartáveis. Nosso objetivo, nosso propósito, nosso motivo para viver está em realizar as ordens de Ikari sama.

Eu senti um frio na espinha diante de tanta dedicação e abnegação. Meu coração parecia um trem descarrilhado, mas eu tinha que manter o foco. Ao menos eu teria alguns minutos com Rei.

– Ah… Ayanami chan… Ikari sama falou com a senhorita algo sobre mim?

– Basicamente que você é o “engenheiro de EVA”. Por que?

– Por nada… eu apenas estava intrigado da senhorita não lembrar de quando nos conhecemos…

– Existe algum propósito ou objetivo nessa conversa? Ikari sama ordenou que o anjo fosse combatido. Eu não vejo como essa conversa fútil pode realizar tal intento.

Eu senti como se minha espinha dorsal tivesse sido arrancada. Rei estava extremamente concentrada e calma ao mesmo tempo. Parecia que o EVA era uma extensão dela mesma. A taxa de sincronização com a minha calibragem manual atingiu fácil e rapidamente os cem por cento.

– Ayanami chan… isso deve ser o suficiente, mas eu não garanto os resultados com tão pouco tempo.

– Shinji kun está vindo. Se eu conseguir segurar o anjo por tempo suficiente, Shinji kun irá derrotar o anjo. Eu estimo muito pela vinda de Shinji kun. Agora saia, que eu tenho um anjo a combater.

Poderiam chamar os paramédicos, por favor? Eu mal consigo me mover. Rei está saindo para combater um anjo com um EVA com as configurações mais inadequadas possíveis e mesmo assim, sua dedicação para o senhor Ikari e sua visível estima por Shinji praticamente rasgam minha alma ao meio. Nada poderia ser feito, apenas assisti o EVA ser lançado na direção da superfície. O senhor Ikari fez um comunicado pouco tempo depois.

– Durak, aqui é Gendo falando. Por favor, compareça ao meu escritório. Misato está trazendo o Shinji e eu vou precisar de você aqui para preparar a unidade um para o Shinji.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s