O fim do mundo não é uma tragédia

A aeronave pousa suavemente no gramado do quartel da Sociedade Zvezda, automaticamente abre suas portas, mas ninguém sai de dentro. Intrigado, Durak dá uma espiada, mas não detecta nenhuma presença no saguão de entrada da aeronave. Curioso, Durak entra na aeronave em busca dos tripulantes até chegar na cabine de comando, onde ele encontra Gorgo e Erich dormindo juntos, abraçados, felizes e satisfeitos. Corajoso, Durak sacode Gorgo.

– Soldado Akula, desperte. Soldado Kiska, desperte. Vocês chegaram na base da Sociedade Zvezda. Onde estão a comandante Plamya e a soldado Vorobey?

– Bom dia, Durak. Desculpe por nos encontrar dormindo. Nós tivemos que descansar depois de… tirar o atraso.

– Se o senhor quiser, eu trago um corpo, soldado Kiska.

– Obrigado, mas eu gosto de escolher as minhas… roupas. Gorgo acordou?

– Sim, Erich, eu acordei. Deixe que eu vou buscar as nossas meninas.

Gorgo se ergue do chão, ainda trôpego e desajeitado, mas segue, completamente nu, pelos corredores da aeronave, na direção dos aposentos de Erich, onde ele tinha certeza de que encontraria Itsuka e Mabel. Quando se distanciou, Gorgo se permite rir de si mesmo. Não que ele sinta culpa ou remorso pelas ações ou escolhas que fez, mas por ter demorado tanto em conseguir se expressar. Por que fazia tanta diferença saber como era o corpo de Erich, se ele pode ter qualquer corpo? Depois de ter enfim consumido o amor que tinha por Erich, não fazia mais o menor sentido ou diferença sequer se era humano, então Gorgo ria de si ao lembrar de como era ridícula sua trava. Gorgo ria de si mesmo por que foi necessária ter tido a experiência para encarar que era um escape toda sua fachada de autocontrole, uma fuga para não enfrentar seus recalques, seus medos e inseguranças.

O som de dois roncos saia dos aposentos pessoais de Erich, confirmando que Itsuka e Mabel estavam ali, provavelmente repondo as energias depois da sessão de treinamento privado. Com estardalhaço, Gorgo invade o quarto e interrompe as belas adormecidas.

– Bom dia, dorminhocas! Vamos acordar! Vamos levantar! Nós chegamos!

– Uaaahh.. bom dia, irmãozão…

Mabel esfrega o olho e encara Gorgo sem se importar em ser vista completamente nua, mas Itsuka ainda não tinha esse costume, então ela tentava cobrir, inutilmente, seu voluptuoso corpo com uma almofada.

– Desculpe interromper o sono de beleza das princesas, mas o tal de Durak está impaciente.

– Que bom! Se Durak veio nos buscar, quer dizer que Kate… aliás, Venera sama, está sozinha no quartel! Eu quero, eu preciso dar um abraço e um beijo em nossa amada líder!

Mabel levanta e sai correndo, levando apenas a pele com que nasceu enquanto Itsuka tenta acompanha-la, algo difícil com ela tendo que correr segurando uma almofada. Na entrada da Sociedade Zvezda, Natasha observava os novos recrutas com um sorriso de satisfação.

– Bom dia, Durak e Kiska. Eu imagino que a garota cor de cobre deva ser Mabel e o homem com olhos de serpente deve ser Gorgo.

– Bom dia, Professor Um. Sim, estes são os meus filhos. Eu sei que posso confiá-los à você. Mabel, Gorgo, sejam educados e digam alô à Natasha.

– Oitudobemtchaueutocompressa.

– Desculpe minha irmãzinha, Natasha, ela está com uma… urgência para resolver.

– Que certamente envolve nossa amada líder. Eu sei. Impossível não ficar apaixonado por ela. Durak, conceda alguns minutos para que nossos recrutas conheçam nossa amada líder e vá buscar Yasu e Asuta para nossa reunião. Todos serão necessários para ativar nossa arma.

Durak faz continência e segue sua missão, embora contrariado. Natasha acompanha Erich e Gorgo calmamente até a sala de reuniões, onde Kate se encontra, provavelmente sendo disputada pela Mabel e por Itsuka.

– Venera sama pediu para que lhe comunicasse que você utilize nosso corpo biomecânico, Kiska. Para o ativamento da arma, você irá encorpar em nossa Eva.

– Por mim tudo bem, mas eu gostaria que Gorgo fosse meu Adão.

– Nós ainda não decidimos em qual espectro de gênero nós vamos deixar o Akula, mas se ambos forem hermafroditas, será bem mais interessante, não acha?

– Ei, não falem de mim como se eu não estivesse presente. Se esse for o desejo de Venera sama, eu aceito.

– No momento a minha ordem é que afastem um pouco a Mabel e a Itsuka de mim. Fica difícil fazer uma reunião com a… atenção que elas me dão.

– Minha adorada Venera sama, eu trouxe Yasu e Asuta, como solicitado.

– Excelente, Durak. Como prêmio, você pode ficar para nos ajudar na ativação da arma.

Gorgo consegue afastar Itsuka e Mabel de Kate, resistindo à tentação de ficar no lugar delas, haverá outras oportunidades para tais exercícios. Realmente, Kate é adorável.

– Assim está bem melhor. Eu sei que todos aqui me amam e eu fico feliz com isso. Cada um de vocês terá tempo e oportunidade para expressar o amor que sentem por mim, mas antes nós temos que destruir Fantomas e o Usurpador. Professor Um, explique para nossos convidados o que é a arma e como ela funciona.

– Esta arma é feita com a mesma tecnologia que nossa Sociedade tem utilizado com sucesso, a partir da fusão nuclear e criaturas Kurun. Cada um de vocês será a bateria dessa arma. Em pares, vocês ocuparão as células e terão relações sexuais. A energia que seus corpos gerarem será captada e direcionada ao canhão de fótons. O canhão irá disparar uma única vez a energia gerada, o que será mais do que o suficiente. A carga irá ricochetear na estratosfera e irá espalhar ao redor do mundo inteiro. Não existe coisa alguma que consiga resistir a este tipo de energia. A arma não pode ser destruída, nem desligada, nem parada. Nós iremos conquistar o mundo todo com um único disparo.

– Muito bem, todos à postos! Como preferem ocupar as células?

– Eu quero ficar com Gorgo, amada líder. Mesmo que tenha que usar o corpo de Eva.

– Eu aceito ficar com você Erich, mas pouco importa para mim agora se seremos macho, fêmea ou hermafrodita.

– Kate, eu queria ficar com você, mas eu também queria ficar com Itsuka.

– Eu quero o mesmo, Kate…

– Então vamos nós três ficarmos na mesma célula. Vai ser divertido. Yasu e Asuta podem brincar entre eles ou conosco, tanto faz.

– Kate, eu gostaria de me servir de Durak.

– De acordo. Seria um desperdício de seus… dotes… não usá-la como bateria de sua própria criação, Natasha.

A arma inicia seu funcionamento enquanto os “instrumentos” se ocupam em gerar a energia para alimentá-la. Os corpos, em atrito, em conjunção, misturam-se em inúmeras formas, gerando com rapidez e eficiência uma enorme energia. A arma coleta o êxtase dos amantes em meio ao balé do prazer e, quando todos atingem o orgasmo, a arma também dispara e acerta o firmamento. Uma enorme massa de energia rosácea preenche toda a órbita da Terra com a única energia capaz de destruir Fantomas e o Usurpador: o mais puro, bruto e incondicional Amor.

Este foi o fim do mundo. Tal como o conhecemos. A humanidade teme tanto isto que chamam de Fim do Mundo… por que acreditam que o Fim é destruição, drama ou tragédia. Tudo tem um fim. Ainda bem. Este mundo só pode voltar ao seu eixo quando acabarmos com o verdadeiro inimigo da humanidade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s