O verdadeiro inimigo da humanidade

Fortuna e Destino voltaram para a quinta dimensão, deixando muitas dúvidas e perguntas sem respostas. Certo de que estas entidades cuidariam do esqueleto justiceiro, Erich acena para que Gorgo e Mabel o sigam para conversarem enquanto caminhavam.

– Gorgo, bom amigo, eu te devo desculpas.

– Do… doutor?

– Deixe de formalidade, Gorgo. Pode me chamar de Erich. Você também, Mabel. Eu gostaria muito de ouvir a história de vocês.

– Nós podemos falar? Quem é essa mulher?

– Itsuka? Ela é confiável. Para falar a verdade, ela é minha superiora, no lugar para onde nós vamos.

– Doutor… digo, Erich… o que aconteceu depois que a torre caiu?

– Eu morri, Gorgo. Por assim dizer. Mas aquilo que consiste o nosso “eu” não é algo corporal ou carnal, então eu deixei aquele corpo anterior e entrei em outro. Infelizmente essa técnica tem um preço. Eu fiquei desacordado e, quando recobrei meus sentidos, eu havia sido resgatado por Itsuka. E quanto a você, Gorgo?

– Eu acordei na ilha de Kalau… ou melhor, no que era assim conhecido… dali eu fui a Fiji para tentar contactar nossa organização e foi ali que eu conheci a Mabel.

– Que providencial… o que você lembra de seu passado, Mabel?

– Minha memória mais antiga é de quando eu era criança e vivia em um orfanato. Eu cresci e aprendi alguma coisa naquele internato e foram os diretores de lá que me mandaram para trabalhar no escritório da organização em Fiji. Não foram os melhores anos de minha vida, especialmente por causa de Kahua, meu finado chefe. Quando Gorgo surgiu no escritório, algo me dizia que minha vida ia mudar… eu sou grata a Gorgo por ter me trazido até aqui.

– Então vocês acham que isso foi algo casual, uma… coincidência. Fortuna tem muitos poderes, bem como Destino, mas acreditem em mim, não existem concidências. Você, Mabel, tem muita coisa em comum com Gorgo, por isso que vocês se dão tão bem. Gorgo não é capaz de admitir, mas ele vê muito de sua juventude em você e, de um jeito estranho, eu sou capaz de afirmar que ele te ama, Mabel.

– Mas, Erich, ele me disse diversas vezes que não tinha interesse em mim! No máximo, ele falou que você foi a pessoa que ele esteve mais próximo de sentir amor.

– Oh, Gorgo, que tolo! Nós poderíamos ter evitado muito desconforto se fôssemos mais sinceros com nossos sentimentos. Expressar um sentimento não é perder o autocontrole, mas exercê-lo. Eu sabia de sua devoção, ter você ao meu lado me dava ânimo e coragem, Gorgo, mas eu queria muito é ouvir você dizer o que sente por mim.

– Erich… eu não saberia me expressar. Quando você me escolheu, no convés daquele porta-aviões, eu me perguntava quando eu seria merecedor de tal honra.

– Deixe de bobagens sentimentais, Gorgo. Eu te escolhi exatamente por que você merecia. O mesmo sentimento que te fez escolher Mabel. Você não tem problema algum em dizer o que sente por Gorgo, tem?

– Eu o amo. Eu o desejo. Agora mesmo eu estou morrendo de vontade de cavalgar em cima dele.

– Eu tratarei de vocês terem o momento, o lugar e a oportunidade para consumir tal amor, mas antes vocês precisam conhecer mais sobre o passado de cada um, bem como o meu próprio. Nossas vidas estão entrelaçadas, destinadas e afortunadas a estarem juntas, lutando contra o verdadeiro inimigo da humanidade.

– Isso tem alguma relação com aquela garota atrevida e o tal esqueleto justiceiro?

– Bravos! Você escolheu bem sua parceira, Gorgo! Sim, eu e Fantomas somos habitantes da quinta dimensão e, desde que nascemos, nós lutamos um contra o outro. Eu perdi parte de meu corpo antes de vir para Gaia e acreditei que eu estava livre dele. Mas os caprichos dos Antigos fez com que ele fosse achado e ressuscitado neste mundo pelas mãos da “garota atrevida”. Nosso embate nesta dimensão causou a destruição de minha torre e a morte de muitos de meus homens. Mas para o ser humano, como Fantomas venceu, ele é o herói e eu, o vilão. A loucura de Marie apenas mostra que isso não é tão simples assim. O herói é uma ferramenta de guerra do Usurpador. Atrás de palavras belas, mas vazias, como “verdade”, “honra” e “justiça” esconde-se um tirano, um ditador. Atrás da máscara das “boas intenções” está um projeto para subjugar, dominar e escravizar a humanidade.

– Mas o que existe sobre o meu passado que eu não lembro que possa ter relação com tudo isso?

– Oho! Garota afiada e precisa! Vocês precisam saber e aceitar que vocês dois são projetos meus. Gorgo, você não foi o meu único “escolhido”. Quando eu cheguei naquele porta-aviões, eu sabia que você estava ali, eu o coloquei lá e eu não o escolhi por acaso, Gorgo… nem é casual seu sentimento por mim… Gorgo… eu te fiz, assim como eu fiz a Mabel. Vocês são meus… filhos, se preferirem assim. Vocês têm três hélices de DNA, o que os torna “naturalmente” super-humanos. Eu fico muito feliz que vocês cresceram e se conheceram, mas, para que meu projeto alcance seu objetivo, vocês devem consolidar a relação entre vocês, como amantes.

– Eu tenho certeza de que Mabel gostou de saber isso, mas Erich, eu não sei se sou capaz de amar… eu passei por tantas alterações no corpo que eu acho que eu não sou capaz de dar ou sentir prazer, tampouco de gerar descendência.

– Não diga bobagens, Gorgo. Eu os criei plenamente eficientes. Você só precisa “religar” essa chave que você mantem adormecida. Ainda que não a tivesse, você é capaz de inventá-la. Sinta livremente por Mabel o mesmo que sente por mim.

– Erich… eu ainda tenho dificuldade em sentir atração física por Mabel e ela é uma garota com atributos interessantes mas… eu ainda não sei ao certo o que sinto por você…

– Oh, Gorgo, não me decepcione! Você está olhando tanto para Mabel quanto para mim por nossa aparência física. Você acha que Mabel até pode ser atraente somente porque aparenta ter um corpo feminino, mas não eu, porque eu aparento ter um corpo masculino? Você, Gorgo, ainda não consegue perceber qual a verdadeira forma e aparência dos seres viventes? Simploriamente toma o todo por uma ínfima parte? Você não é masculino porque porta um pênis, Mabel não é feminina porque porta uma vagina. Consegue entender isso?

– Eu… consigo.

– Um homem não deixa de ser masculino apenas por gostar de outro homem. Um homem não se torna mais homem por amar muitas mulheres. Se isso ainda for complicado, eu posso, facilmente, manifestar um corpo que te seja mais agradável.

– Erich… conceda-me um tempo para entender e aceitar que você é capaz de me amar, como Mabel me ama, para que eu seja capaz de te amar da mesma forma.

– Ah, que menino sentimental! Você não precisa de minha permissão. Se eu não o conhecesse, se eu não confiasse em você, você não seria meu filhinho, seria?

– Papai, quem é nossa mamãe?

– Mmmm… boa pergunta, Mabel. Vamos para a nova base… vamos para casa… ali eu espero que vocês despertem assim que conhecerem nossa amada líder.

– Basta, Erich. Você fala muito e depois precisa ficar no tanque de nitrogênio.

– Sim, comandante Plamya sama.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s