Anatomia do viver

Durak levou mais um mês para concluir a montagem do homúnculo, o que para os padrões de tempo de um androide é uma eternidade. A criatura resultante ergueu-se do local e pôs os pés no chão e deslocou-se para diante de um espelho.

– Isto gosta da configuração final de seu ser.

– Eu fico feliz em saber, mas ainda falta um detalhe. Você precisa colocar estes acessórios que nós chamamos de roupa sobre seu corpo. Também teremos que pensar que tipo de pelo você carregará no seu corpo. O ser humano é muito sensível diante da nudez e a ausência de pelos em seu corpo te denunciaria como um androide. Nós também temos que definir como iremos te apresentar, afinal, seu aspecto externo não condiz com sua capacidade mental.

– Usuário está tentando confundir isto? Não há qualquer lógica em cobrir o corpo com esses acessórios chamados de roupa ou de inserir pelagem neste corpo. Isto pode ser apresentado como servo do usuário.

– Não, eu estou tentando te ajudar a formar sua identidade e personalidade. Veja bem, para os olhos humanos você aparenta ser uma garota adolescente e isso é suficientemente problemático sem entrarmos na sua apresentação como minha serva. Mesmo que eu diga que você é um homúnculo ou um androide, o ser humano te veria como pessoa e a humanidade desenvolveu aversão à escravidão.

– Isto não possui dados suficientes. Por que o ser humano alijaria outro ser humano de sua faculdade, natureza, biologia e anatomia baseado em estranhos e incongruentes padrões referentes à faixa etária? Por que tirariam ou negariam a sexualidade de outro ser humano? Qualquer ser vivente acasalaria uma vez alcançado a maturidade física.

– Você está certa, mas isso faz parte de nossa cultura, altamente influenciada por rígidos dogmas e ideias cristãs sobre o corpo, o desejo, o prazer, o amor e o sexo. Como se isso não fosse suficiente, nós desenvolvemos uma concepção idílica e romântica sobre a infância e a adolescência.

– Isto entende que o humano tem alguma falha de programação que impede dele funcionar com eficácia. Isto ainda intrigado com o humano. Por que isto seria visto pelo humano como outro humano e portanto restrito às mesmas limitações humanas? O humano sentiria atração pelo corpo disto e teria vontade de interagir carnalmente com o corpo disto?

– Esta é uma boa pergunta. Vamos fazer o seguinte: escolha as peças de roupas que quer vestir e vamos sair nas ruas. Vamos simplesmente passear, conversar e ver como as pessoas reagem.

– Isto recebeu pedido de usuário para proceder em experiência científica. Isto aceita, sob protesto, usar acessórios para cobrir seu corpo.

O homúnculo pega peças de roupas aleatoriamente para cobrir as partes de seu corpo, como seu banco de dados indicava em qual ordem e em qual lugar cada peça era colocada. O resultado foi uma roupa bem misturada e diferente, mas que certamente seria considerada bastante comum e adequado para a impressão que os humanos teriam sobre o homúnculo, tal como Durak estimava que fosse. O homúnculo observava atentamente as ações de Durak, para imitar a passada, os gestos com as mãos, o curioso ritual de inserir uma chave para abrir uma porta e passar de um lugar a outro.

O homúnculo ficou admirado ao sair pela primeira vez na rua, pela imensidão do horizonte e os detalhes do cenário. O ambiente também trouxe mais informações captadas pelos seus diversos sensores, como a sensação de calor na pele, os diversos cheiros que bailavam pelo ar, novas impressões visuais como textura, profundidade e cor. A brisa balançou o conjunto de fios que faziam seu cabelo que, mesmo sendo artificiais, eram capazes de fornecer dados de sensações e o homúnculo teve ter tido pela primeira vez a sensação de felicidade por ter aceitado cobrir sua cabeça com o cabelo.

– Isto está recebendo diversos dados de origem ambiental. Isto irá categorizar dados como sensações e experiência adquirida. Isto percebe que sensações produzem algoritmos tanto resultantes quanto aleatórios que induzem a outros dados não fisicamente possíveis de expressar, quantificar ou explicar. Isto irá categorizar dados suplementares como emoções.

– Resumindo, você está gostando do que sente e está feliz por estar viva. Isto é o que realmente nos faz humano. O conhecimento exato, racional e lógico é igualmente importante, mas não possuem gosto, sabor, textura, cor ou impressão emocional.

– Bom dia, Durak. Quem é a mocinha ao seu lado?

– Bom dia, senhora Mirtes. Essa é a minha… hã… sobrinha.

– Oh, mas que graça de menina! Como é seu nome, querida?

– Meu nome é Alraune, senhora Mirtes.

– Puxa que nome… bonito. [sussurrando] Durak, por acaso os pais dessa criança são pagãs?

– Devem ser, senhora Mirtes. Aliás, eu também sou pagão.

– Ah, Durak, você e suas bobagens. Enfim, o importante é que ela é saudável. Agora seja cavalheiro e traga sua sobrinha para a igreja. Eu estarei esperando por vocês, oquei?

– Isto está intrigado com a interação com esse outro humano.

– Dona Mirtes é uma boa pessoa, mas é limitada pela programação que a igreja inseriu nela. Mas o importante é que ela percebeu e te reconheceu como um ser humano feminino. Aliás, Alraune, está na hora de você se reconhecer como humano, uma vez que agora escolheu um nome. Deve se referir a si mesma utilizando o pronome eu.

– Eu entendo, Durak, mas por que você decidiu que eu sou sua sobrinha?

– Eu achei melhor assim. Nós entendemos a proximidade entre pessoas conforme laços de família ou afinidade. Seria muito difícil explicar para dona Mirtes o verdadeiro motivo para nós estarmos juntos. Eu inventei uma relação familiar porque outra forma de relação causaria revolta entre os humanos.

– Eu entendi sua informação prévia sobre a dificuldade do humano em relação com sua natureza, seu corpo, seu desejo, seu prazer, seu amor e seu sexo. Que tipo de relação erótico-afetiva entre humanos é a mais restrita?

– Ah, isso vai depender da cultura e da sociedade. Para deixar as coisas mais práticas, vamos nos limitar à sociedade em que estamos inseridos. Uma relação senhor-escravo fica mais complicada se incluir relações íntimas. Descartamos isso, mas assim como dona Mirtes, outros humanos irão te ver como uma garota adolescente. Qualquer outro relacionamento entre nós que não seja o familiar causaria uma tremenda comoção nesse bairro, sem dúvida eu acabaria preso. Independentemente de sua capacidade, competência ou maturidade intelectual e física.

– Eu acho que entendi. Apesar de ser consciente e capaz de decidir, por suas visões idílicas e românticas, os seres humanos acreditarão que eu sou vulnerável, inocente e ingênua, totalmente desprovida de qualquer sexualidade.

– Isso mesmo. Vamos continuar nosso passeio para coletarmos mais impressões e experiências.

– Sim, vamos, titio.

Durak fica surpreso ao perceber que Alraune era capaz de fazer piada e ficou abismado em notar que a face dela exprimia um sorriso pela primeira vez.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s