O espetáculo deve continuar

Severo assistiu ao noticiário apreensivo com a repercussão que estava acontecendo na ala masculina. Na entrada da reitoria, uma enorme quantidade de jornalistas, feito urubus, queriam se aproveitar do acontecido para ganhar mais dinheiro e audiência. O problema começou na porta de seu escritório, onde três detetives o aguardavam.

– Senhor Severo, reitor da Universidade de Vilões? Eu sou Moe Howard, detetive chefe da delegacia central. Estes são meus irmãos, Curly e Shemp. O delegado está muito nervoso e nos incumbiu de investigarmos o fato ocorrido ontem. O senhor pode nos dizer tudo o que sabe sobre a explosão que aconteceu na vice-reitoria da ala masculina desta universidade?

– Bom dia, senhores detetives. Eu estou tão chocado quanto os senhores. Nossa Equipe de Incêndio ainda está vasculhando o local. Nenhuma possibilidade está descartada. Assim que nós tivermos as informações sobre o caso, enviaremos aos senhores um comunicado público.

– Eu entendo, senhor reitor. Com a sua permissão, nós faremos nosso serviço por aqui, falando com os alunos, se não tiver problemas.

– Absolutamente! Levem com os senhores esta autorização. Nosso intuito em comum é descobrir o que aconteceu, o que causou o fato e quem é o possível culpado.

– Muito obrigado, senhor reitor. Ah, sim, mais uma coisa antes de irmos. A Secretaria Estadual de Educação está muito preocupada e interessada em sua administração. Aparentemente existem denuncias e relatos que seus métodos educacionais são… como eu diria… severos demais, se me desculpe o trocadilho. Espero que o senhor não se oponha para que nós investiguemos estas denuncias.

– Evidente que não! Os senhores devem saber que eu tenho muitos críticos e adversários que espalham boatos a meu respeito e a respeito desta digníssima instituição.

– Nós seremos os primeiros a declarar em público as falsidades, senhor reitor, disto o senhor pode ter certeza. Tenha um bom dia.

Assim que os detetives saíram, Severo liga para a vice-reitora Hermione, no que recebe o comunicado de Sibila que ela está em estado de choque, sem condições para trabalhar. Algo aconteceu na ala feminina e a vice-reitora que ele nomeou não estava disponível. Severo tenta ligar para Felícia, pois estava tateando feito cego, mas o número caía na caixa postal. Sem outra opção, Severo usa o interfone e fala com sua secretária, Mérida.

– Mérida, nós estamos em uma situação de urgência. Pegue a limusine da reitoria e vá até a vice-reitoria da ala feminina e averigue o que aconteceu com Hermione e Felícia. Rápido!

Mérida sai do escritório e da reitoria, embarca na limusine, em direção da ala feminina, sem se dar conta de que era seguida pelos irmãos Howard. Ao entrar na ala feminina, percebe uma grande agitação entre amazonas e alunas. Em todos os rostos, medo e pânico estão estampados. A situação na secretaria da vice-reitoria feminina está caótica. Funcionários correm de um lado a outro e os telefones não cessam de soar. Mérida consegue chegar em Sibila, a secretária de Hermione.

– Bom dia, Sibila. O senhor reitor me enviou aqui para ver o que está acontecendo. Você pode me ajudar?

– Claro, Mérida. Aliás, parabéns por sua promoção. Eu fui uma das poucas aqui nesta vice-reitoria que pressentiu que você tinha futuro. Quem diria que de aluna você se tornaria secretária do reitor? Desculpe a bagunça e confusão, mas a explosão na vice-reitoria masculina causou um verdadeiro alvoroço por aqui.

– Eu entendo, Sibila. A reitoria também está um caos depois da explosão. Obrigada por acreditar em mim, obrigada pelo cumprimento. Por que Hermione não atende ao reitor? Onde está Felícia?

– Hermione chegou aqui em estado catatônico. Foi carregada para dentro de seu escritório, toda encolhida, em posição fetal, tal como foi retirada do veículo dessa vice-reitoria. Eu estou tentando acalmá-la, pois ela não fala coisa com coisa. Ela fala em cabeça rolando e algo como duas casacas. Depois que ela chegou, eu recebi a notícia terrível de que foi encontrado o corpo de Felícia, sem cabeça, jogado no pedaço barra-pesada da universidade. Faz algum sentido para você?

Mérida não era exatamente uma intelectual, mas tinha esperteza suficiente para saber que a morte de Felícia tinha sido um recado para ela. Ela acompanhou o movimento na ala feminina quando o reitor conversava com Hermione e sabia que ela acabaria levando Felícia. Mérida engole seco, sente tontura, o fôlego faltar e sua pele fica esbranquiçada. Seria uma questão de tempo até ela ser a próxima a ser alvejada por Alexis.

– Sibila, isso é muito importante. Por mais difícil que seja, eu preciso falar com Hermione agora. Nossas vidas estão em jogo.

– Horror! Vamos tentar, então.

Mérida encontra Hermione em um canto do escritório, no chão, ainda em posição fetal, em estado de choque, balbuciando palavras sem sentido. Sibila chora pelo estado de sua chefe, Mérida sente compaixão, mas a situação não é ocasião para expressar sentimentos. Mérida sacode Hermione vigorosamente, a chama pelo nome, estapeia seu rosto, até perceber que seus olhos recuperam um pouco da lividez e cor.

– Hermione! Aqui quem fala é Mérida! Volte! Acorde! Agora não é hora de fraquejar! Felícia morreu e se não fizermos algo, nós seremos as próximas!

– Não! Eu não quero! Eu vi o Diabo em pessoa!

– Eu também vi o Diabo em pessoa, mas eu estou aqui, não estou? Nós estamos vivas e devemos aproveitar enquanto podemos. O espetáculo deve continuar! Ligue imediatamente para o reitor e diga a ele tudo o que sabe! Ele vai nos ajudar!

– Claro! Você tem razão! Ele precisa saber do perigo que corre! Eu agora sei de tudo! Mérida, você será extremamente necessária. Você é nosso trunfo que vai salvar nossas vidas.

Hermione consegue se controlar e liga para o reitor. Deixa o telefone em viva voz para que Mérida e Sibila saibam de tudo também, apenas para o caso de acontecer algo com ela.

– Senhor reitor, aqui é a vice-reitora Hermione. Desculpe-me por ter ficado ausente, mas eu estava com dificuldades em lidar com o que eu descobri recentemente.

– Hermione, que bom que está bem. Depois me lembre de agradecer pela ajuda de Mérida. Agora não vamos falar de coisas menores. Diga-me, com detalhes tudo o que sabe.

– Sim, senhor reitor. Antes, eu peço que o senhor inclua Sibila, pois sem ela eu estaria perdida. Graças a ela eu estou conseguindo cumprir com minhas obrigações como vice-reitora. Sem ela e as amazonas, eu não teria descoberto quem invadiu nossa ala feminina, possivelmente matou Circe e visitou a aluna chamada Alexis. Antes da explosão, eu flagrei um aluno invasor chamado Marvin que, voluntariamente, disse que no mesmo dia dos fatos o aluno chamado Zoltar esteve ausente do dormitório que compartilhavam, chegando somente na manhã do dia seguinte. Eu tentei, junto com Felícia, fazer com que Alexis colaborasse conosco, mas ela alvejou a pobre Felícia com seu arco e flecha. Eu não tenho vergonha de dizer que corri por minha vida, mas agora restabeleci a razão e estou à disposição do senhor. Quais são as ordens?

– Muito bem. Primeiro eu nomeio Sibila para ser coordenadora de turma. Segundo eu quero que aproveite que Mérida está aí para confirmarem essas informações dadas pelo Marvin. Terceiro eu quero que você, Mérida e Sibila convoquem todos os alunos para os Jogos Estudantis. Façam isso e eu cuido dos detalhes. Nós iremos matar dois coelhos com uma só paulada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s