Entre a hipocrisia e a histeria

Não é novidade que os meios de comunicação são sensacionalistas e buscam garantir sua audiência a qualquer custo. Aquilo que é considerado matéria tem mais interesse em seu potencial comercial do que em seu potencial informativo. Os meios de comunicação refletem o estado de hipocrisia e histeria de sua sociedade. Nossa sociedade mantem no século XXI a mesma mentalidade do século XVIII.

Como podemos entender e interpretar a polêmica construída em cima da menina funkeira? Por que ela não pode cantar e dançar funk, mas uma mulher pode? Por que uma mulher pode posar com lingerie ou biquíni em revistas de moda e uma menina não pode? Por que a sociedade tolera a pornografia ao mesmo tempo em que condena a prostituição?

Existe uma correlação entre essa moral hipócrita, esse falso puritanismo, essa censura velada à sexualidade e a repressão e opressão sexual. São as mesmas raízes e causas que tornam polemico defender o direito da comunidade LGBT. São as mesmas raízes e causas que tornam polemico falar em educação sexual e na sexualidade infantil. E isso tem tudo a ver com o Cristianismo e sua doutrina. E isso tem a ver com o Sistema tentando comercializar e mercantilizar as ideias e os princípios da Contracultura e da Revolução Sexual.

O Sistema consiste na produção e reprodução de uma economia da desigualdade. O Sistema depende de manter o sexismo, o machismo, o patriarcado, a misoginia, a coisificação e o fetichismo. A sexualidade, o corpo, o prazer, o desejo, o relacionamento e o amor apenas podem existir nesse Sistema na forma de ideias ou produtos que possam ser comercializados. Qualquer expressão que não possa reforçar ou endossar o Sistema será considerado proibido, crime, tabu. Interessa ao Sistema que o amor, sexo e relacionamento sejam mantidos controlados, reprimidos. Interessa ao Sistema banalizar e vulgarizar a sexualidade. Interessa ao Sistema patrocinar qualquer coisa que evite que o ser humano exerça sua liberdade.

A publicidade usa a sensualidade para reforçar o sistema e se torna sexista. A pornografia extrapola na coisificação da mulher para reforçar o sistema e se torna machista. O funk é a expressão do Sistema em forma de som. Os meios de comunicação ressaltam e reforçam a ideia de que a mulher deve ter uma determinada estética. Os meios de comunicação ressaltam e reforçam a ideia de que é normal e desejável que a mulher seja uma alpinista social, mesmo que use seu corpo e sua sensualidade para isso.

O próprio Sistema criou as condições para tanta violência e abuso físico e sexual de crianças, adolescentes e mulheres. Fala-se abertamente e com orgulho de estupro. Criou-se a histeria da pedofilia, como se criança e adolescente não fossem pessoas e não possuíssem sexualidade. Mas o Sistema cuidou de expor cada vez mais, deixar cada vez mais acessível, a todo o publico, essa sexualidade doentia criada pelo Cristianismo.

Um exemplo é a promoção de artistas que cantam e dançam de forma erótica e sensual e que se tornam um modelo, um ídolo, uma referência para as crianças e os adolescentes. Outro exemplo é noticias falando do homicídio, mas não do relacionamento entre a vítima, geralmente uma adolescente e o criminoso, geralmente maior de idade. O Sistema aceitou a teoria da maioridade penal a partir dos 16 anos o que abre espaço para discutir a questão da idade de consentimento e da presunção de abuso no relacionamento com um menor de idade.

Sem perceber, o Sistema está causando sua ruína. Sem perceber o Sistema está promovendo a Revolução Sexual. O Sistema tentou capitalizar e controlar com a prostituição e pornografia as ideias e ideais da Contracultura, no entanto sua estrutura rígida não conseguiu acompanhar o progresso e evolução da humanidade, cada vez mais desperta, cada vez mais livre.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s