O duro ofício do malvado – IV

Irritante. Como abelhas. A cavaleira golpeava Korg freneticamente com sua espada, sem qualquer efeito. Ele podia facilmente matá-la, mas ele quer estudar melhor a fêmea humana. Mesmo quando conseguia capturá-la com suas gavinhas, ela usava a magia que invocava os ancestrais. Como se não bastasse essa humana ter uma armadura sagrada. Ela teve tempo suficiente com a magia dos ancestrais para vestir a armadura. Certamente essa cavaleira tem outros artefatos mágicos.

– Hei, arqueira, maga, se querem poupar suas vidas me digam quantos e quais artefatos mágicos essa cavaleira tem!

– Não contem! Eu estou bem perto de acabar com ese troll! Se contarem, vocês serão as próximas!

Korg recorreu ao uso da pluma, fazendo cócegas, enquanto fazia as gavinhas as apertarem mais. O movimento das gavinhas rasgou as roupas das cativas, mostrando ao troll o quanto as humanas são diferentes dos humanos. Korg deduziu que a cavaleira tinha estes diferenciais e que, sem armadura, ela ficaria mais sensível.

– Digam agora! Eu estou com fome e posso comê-las com uma mordida!

– Não! Pelos Deuses! Seu troll, não nos coma! Ela tem um medalhão que evoca a magia dos ancestrais!

– Imprestável! Eu irei torturá-la antes de matá-la!

A cavaleira ficou distraída com a maga, o suficiente para Korg lançar suas gavinhas com espessura reforçada, o que lhe deu tempo para vasculhar e encontrar o medalhão.

– Muito bem, cavaleira, agora nós podemos conversar. Primeiro eu vou tirar essa armadura, depois suas roupas e então eu irei fazer cócegas até que me fale tudo e prometa não atacar a Floresta Sagrada!

– Hah! Pode me matar! Eu hei de achar um jeito de acabar com você!

Korg tira a armadura e as vestes da cavaleira. O corpo dela é bem mais generoso do que o de suas amigas. Korg explora o corpo de suas cativas, apalpando, cutucando, alisando e vendo as reações. O peito inchado é bastante sensível, assim como os quadris. Mas a fenda que as humanas tem entre as pernas é muito mais sensível. elas gemem, mas não parece ser de dor. O corpo delas fica arrepiado, o peito fica eriçado, uma secreção sai da fenda.

– Pervertido! Não tem vergonha de se aproveitar de pobres damas?

– Há pouco a senhorita queria arrancar minha cabeça. O que são estas coisas que tem no peito? O que é isto que tem entre as pernas?

– Monstro burro! Isto são seios e o meu sexo. Sabe o que é sexo? Alguma vez sentiu amor, atração ou desejo?

Korg não conhecia estas coisas, mas estava interessado em descobrir, com a ajuda de suas cobaias.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s