Muito barulho por pouca coisa – III

– Sr juiz, a promotoria gostaria de chamar a srta. Moranis.

– Srta Moranis, por favor, sente no banco das testemunhas.

– Bom dia sr. juiz, bom dia sr. promotor.

– Srta. Moranis, bom dia. Para que conste nos autos, a srta. sabe a diferença entre verdade e mentira?

– Sim, sr. juiz. Melhor que muito adulto aqui presente.

– Aham. Srta. Moranis, esta é uma sessão de julgamento, não um forum de debate. Pode declarar aos jurados qual sua relação com o sr. Kappa?

– Ele é meu melhor amigo. Nós somos primos, mas crescemos juntos, fomos criados juntos.

– Pode relatar aos jurados os fatos dos acontecimentos?

– Claro, sr. juiz. Eu fui à casa de Greg como sempre fiz. Matt estava lá. Nós começamos a brincar. Eu e Matt nos escondíamos de Greg então começamos a conversar sobre ele. A ideia meio que veio na hora. Nós duas dissemos a Greg que queríamos brincar de médico. Ele seria o doutor, nós seríamos ora a enfermeira, ora a paciente. Greg estava examinando Matt quando nossos pais estragaram tudo. Agora nós estamos aqui desperdiçando o tempo desta corte com pouca coisa.

– Então o sr. Kappa não abusou da srta?

– Não, sr. juiz, o mais certo é que eu e Matt abusamos de Greg. Ele faz tudo que nós pedimos. Eu acho que é porque ele é apaixonado por nós.

– Srta. Moranis, os jurados precisam saber se houve ato sexual ou não entre a srta. e o sr. Kappa.

– Precisam? Por que? Não tem vidas afetivas satisfatórias? Sim, eu transei com Greg. Eu não tenho vergonha de admitir isso.

– Srta. Moranis, a srta. não acha impróprio fazer essas coisas na sua idade? A srta. tem noção do que fez?

– Se eu acho impróprio? Claro que não. Impróprio é adulto usar seu cargo para roubar dinheiro público. Eu tenho total noção do que fiz. E eu desafio qualquer um a provar que não.

– Aham. Srta. Moranis, por favor, preencha este teste.

Ness preenche o teste com desinteresse, em pouco tempo. O juiz dá uma olhada e passa para o psicólogo. O psicólogo também demonstra surpresa. O teste é anexado aos autos depois da avaliação.

– Que conste em ata que a srta. Moranis alcançou um QI de 200. Esta corte reconhece que a srta. Moranis é consciente e capaz de responder pelos seus atos. A minha decisão é que não houve abuso entre o sr. Kappa e a srta. Moranis. Esta sessão prosseguirá para ouvir a srta. Kelvin.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s