Os monges do culto do medo – III

– Irmão Ambrósio, acha que foi adequado deixar o noviço descer para aquele antro de… imundícia?

– Irmão Clemente, nossa mente treinada e experimentada pode perder algo detalhe que a mente ingenua e fresca irá captar com facilidade. Além do que o irmão Nicomano precisa passar por esta experiência se quisermos que ele seja de alguma ajuda.

– Apoiado. Nós também tivemos nossos professores, santos homens que, a despeito de suas vidas exemplares, não nos pouparam de passar pelas experiências que nos formaram. Sem falar que descer ao pardieiro servirá de teste ao jovem noviço.

Os cinco monges acenam em concordância, enquanto passavam a mão por suas barbas. O noviço desce as escadas com as costas encostadas pela parede, como se o próprio Diabo fosse pular diante dele a qualquer momento. A luz do corredor e das escadas são rapidamente eclipsadas pela luz que vem do salão principal da taverna. Da ponta mais escondida, Nicomano observa como se estivesse espiando pela fechadura do Inferno. A música até que é agradável. Em seguida, seu olfato anuncia que o jantar está sendo servido, seguido de um estrondoso protesto de seu estômago vazio.

– Eu vou comer apenas aquilo que a Palavra me permite comer.

Nicomano ficou martelando essas palavras enquanto ousava descer mais, misturar-se à verdadeira multidão que dançava, cantava, comia e bebia por toda a parte. Um esbarrão aqui ou ali, pedia desculpas, mas os comensais nem ligavam. Ele mal era percebido, visto ou enfrentado, como é comum quando eles passavam pelas vilas. A única pessoa que lhe dirigiu a palavra foi a senhoria.

– Boa noite, sacerdote. Veio juntar-se a nós para jantar?

– Sim, senhora. Eu não estou tão estudado ou desenvolvido como meus irmãos. Eu ainda não consegui superar inteiramente os ditames do corpo.

– Pode me chamar de Mirtes, sacerdote. Mas eu estou curiosa. O que há de mal no corpo?

– Meu nome é Nicomano, Mirtes. A Palavra diz que o corpo é o que nos separa de Deus.

– Mesmo? Mas teu Deus não criou tudo? Então criou o corpo, portanto, sendo Deus santo, o corpo também é santo.

– A Palavra diz que houve um momento em que fomos santos, mas pecamos. Desobedecemos a Lei de Deus e sofremos por nossos pecados.

– Isso é interessante, Nicomano. Diga-me como que nós podemos desobedercer a Deus se Ele nos criou e nos deu o corpo? Como poderíamos pecar se o pecado não tivesse sido criado por Deus também?

– A Palavra diz que o Diabo fez com que o pecado entrasse no Paraíso ao tentar nossos Pais.

– Isso nos leva a um beco, Nicomano. Se Deus criou tudo, Ele criou o Diabo também. Pior, foi Deus quem permitiu que o Diabo entrasse no Paraíso e tentasse a nossos Pais. Será que ainda estamos falando de Deus?

– Desculpe, Mirtes, mas como eu disse, eu não sou muito estudado. Eu não sei te responder. Mas eu vou apenas comer o que a Palavra me permite.

– Antes de você e seus irmãos, outros sacerdotes vieram falando dessa Palavra. Eu acho que fui a única que leu. Então, Nicomano, permita-me citar a Palavra quando esta diz que não é o que entra pela boca que faz mal, mas o que sai dela. O primeiro prato de comida e a primeira caneca de vinho é por minha conta.

Sem dar tempo a Nicomano falar algo, uma garçonete serve um prato que mais parecia um manjar feito por Deus e mais uma caneca tão grande e cheia de vinho que mais parecia um tonel. O cheiro da comida somada à fome fez Nicomano atacar o prato. Comendo, vem a sede e o primeiro gole de vinho. O prato e a caneca acabaram em coisa de meia hora.

– Que Deus me perdoe, mas isto foi divino.

– Fico feliz que tenha gostado, Nicomano. Agora, seja bem sincero e honesto e diga se há algum mal nisso?

O pobre noviço olha para Mirtes como um cachorrinho perdido, consegue apenas balançar a cabeça e dar de ombros. Ele não precisou de muitas lições, nem doutrinas, nem sermões para perceber que não havia mal algum ali.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s