Venera sama – V

Eu acordei com o Professor Um examinando meu corpo com um bioscanner e com Roboko monitorando meus sinais vitais.

– Ah! Durak acordou. Roboko, chame Venera sama.

– Imediatamente, Professor.

– Natasha…hã…Professor Um, o que aconteceu?

– Está tudo bem, querido, você pode me chamar de Natasha. Você teve uma teofania. Quando Roboko voltar, eu te mostro o vídeo que ela gravou.

Roboko voltou trazendo com ela Venera sama e Plamia sama.

– Hei, olá, Beto. Puxa, você pode mesmo incorporar o Deus das Florestas.

– Hã…eu posso?

– Presta atenção! Por favor Roboko, mostre para esse idiota o que aconteceu.

Roboko inicia a mostrar um vídeo em holograma, em 3D, com a batalha em seu ápice até a parte onde Plamia sama cai. Instantes depois, uma aura cobre meu corpo todo, meu tamanho aumenta em proporções titânicas, cresce pelos grossos em todo meu corpo, dois enormes chifres despontam de minha cabeça, meus olhos e língua são feitos de fogo puro. Com o aceno de uma mão, eu esmago todo o flanco direito das Forças Especiais de Tóquio, com outro aceno eu esmago todo o flanco esquerdo das Forças Especiais de Tóquio. Com um urro, eu libero uma imensa coluna de fogo que incinera Kyoshiro Jimon, o prefeito de Tóquio, em segundos. Não demora muito para que White Robin e White Eaglet saiam correndo do campo de batalha.

– Esse…sou eu?

– Claro que é! Para sua sorte! Senão eu teria que dispensá-lo.

– Mas e a comandante Plamia sama? Ela não foi ferida?

– Itsuka, conte para ele. Conte tudo e agradeça.

– Eu fui atingida…mas não ferida. Acabaram com meu lanche de torta de morango e maçã. Eu tenho que te pedir desculpas, Durak. Eu desconfiava de você, por ser brasileiro, latino e pagão. Mas a sua resposta, sua reação diante da possibilidade de eu estar ferida mostrou do que você seria capaz de fazer se algo acontecesse para nossa querida e amada Venera sama.

– Só isso? Vamos lá, Itsuka, diga a ele o que me disse depois da batalha terminar, depois que Durak caiu inconsciente.

– Hã…bem…eu fiquei preocupada com você, Durak. Você é o único que consegue me acompanhar no treino com espada. Eu sei que eu sou dura e exigente com você, mas eu faço isso porque eu tenho ciúmes de você, principalmente quando fica perto de Kate.

– Eu que tenho que te pedir desculpas, comandante Plamia sama. Eu não tinha o direito de deixá-la preocupada. Foi uma falha indesculpável achar que a senhorita teria sido ferida em batalha. Também não tenho desculpa ou justificativa por meu interesse e amor por Venera sama. Também é indesculpavel o meu descontrole em batalha, sobretudo ao incorporar o Deus das Florestas. Eu não sei se sou digno de continuar na Sociedade Zvezda.

– Você está brincando? Roboko, por favor, dê um soco na cabeça de Durak, ou um choque.

Roboko executa a ordem e, apesar dela ser um robô, eu acho que percebi um sorriso de prazer em seu rosto.

– Muito bem! Durak, você mostrou que tem um enorme potencial. Vamos trabalhar juntos na questão do controle do poder que existe dentro de nós. Mas antes de usar esse poder para a conquista do mundo, você terá que passar por um teste…Itsuka, cuide disso.

– Hã…sim, claro, imediatamente, Kate.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s