Fomos criados para amar

Quando Helios foi gerado por Tea, a consorte de Hiperion, a Deusa filha de Urano e Gaia, os Deuses disseram que ele foi gerado e criado para dar luz e brilhar para Gaia, que sua presença é necessário para que haja fertilidade no campo e no gado. E Helios tem executado sua tarefa com precisão por muitos milênios, sem medo, sem complexo, sem receio, sem obstáculos.

Quando Selene nasceu depois, os Deuses disseram que ela foi gerada e criada para servir de farol diante do véu de Nix, para controlar as marés, inspirar os enamorados e marcar os períodos da mulher. E Selene tem executado sua tarefa com precisão por muitos milênios, sem medo, sem complexo, sem receio, sem obstáculos.

Quando os homens foram gerados, os Deuses ficaram ao mesmo tempo alegres e apreensivos. Quando surgimos, os Deuses não sabiam o que dizer de nós. Meio animais, meio divinos, podíamos ser os descendentes e herdeiros dos Deuses ou podíamos ser a pior das feras. Temos um enorme potencial, mas sequer chegamos a sermos efetivamente humanos.

Nós fomos criados com narizes e não vemos problema algum em sentir o cheiro de diversas flores, frutos, comidas. Nós fomos criados com ouvidos e não vemos problema algum em ouvir os mais diversos tipos de sons, músicas e harmonias. Nós fomos criados com boca e não vemos problema algum em nos alimentarmos com uma grande variedade de pratos, comidas e sabores. Nós fomos criados com língua e não vemos problema algum em falar diversos dialetos, formatos e expressões. Nós fomos criados com mãos e não vemos problema algum em pegar, agarrar, alisar, colher. Nós fomos criados com pés e não vemos problema algum em andar, correr, pular, subir, descer.

Nós fomos criados não apenas com mente, mas com coração; nós não fomos criados apenas com raciocínio, mas com amor. Nós não vemos problema algum em desenvolver a lógica e o argumento, mas continuamos pobres em nosso desenvolvimento erótico-afetivo. Apesar de nossa essência, criamos diversos medos, complexos, receios, obstáculos para o amor e o sexo, algo tão normal, natural e divino. Nenhuma outra espécie criou tanto recalque, neurose e paranóia por causa do domínio de Eros e Afrodite. Nenhuma outra espécie criou tantos pruridos, normas e regras para as formas como nós nos relacionamos e nos unimos. Nenhuma outra espécie delega a terceiros a autoridade sobre a sexualidade, sobre o gênero, sobre a reprodução. Nenhuma outra espécie reflete suas próprias inseguranças em uma figura paternal, a chama de Deus e, em nome dessa entidade forjada, impõe uma ditadura moral, cheia de opressão e repressão sexual.

Pela luz de Zvezda, pelo poder de Venera-sama, nós vamos conquistar o mundo para libertá-lo. Nós fomos criados para amar. Não há regras, não há fronteiras, não há limites. Todos tem o direito e a liberdade de amar quem quiser, quantos quiser, desde que haja maturidade e mútuo consentimento. Conceitos como fidelidade, compromisso, monogamia, são grilhões para nos escravizar, ninguém é posse ou propriedade, nem por convenções sociais, nem por convenções religiosas. Nosso único compromisso é com o amor, nossa única  fidelidade é com a humanidade, nossa única forma de relação erótico-afetiva é a onigamia.

Amor é o Todo da Lei.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s