A volta do exílio – V

– OI, Tom.

– Oi, Nelly.

– Mamãe me disse que você não se lembra de mim.

– Desculpe! Eu realmente não lembro de você.

– Tem certeza? Nós éramos muito próximos quando éramos pequenos.

– Isso foi quando éramos pequenos. Eu cresci.

– Eu notei [risos]. Olha, nós podemos lembrar juntos os bons momentos que passamos na infância.

– Eu não entendo no que isto vai me ajudar.

– Não sabe? Caramba, Tom! Você deve ter tido algum trauma lá em Metrocity. Se você não descobrir o que aconteceu, não poderá superá-lo, não poderá curar essa ferida aberta.

– E como você irá me fazer lebrar, como você irá poder me ajudra a fechar essa ferida?

– Primeiro nós vamos até o lago. Ali nós passávamos as tardes todas, só eu e você, tomando banho.

– O que você está querendo insinuar?

– Nada, Tom. Como eu disse, nós éramos muito próximos. Você está bloqueando isso por algum motivo. Não havia nem há nada de errado com o que nós temos um com o outro. Se você conseguir perceber isso, metade da ferida será fechada. Vamos?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s